Com coligações quase definidas, candidatos começam a calcular tempo que terão na TV

Base governista, com 17 partidos, disporá do maior tempo entre os concorrentes. Nanicos como o Psol e o PCB terão cronometragem próxima do tempo mínimo a que cada legenda tem direito

Praticamente firmadas as alianças para as eleições estaduais deste ano, as coligações já podem começar a contabilizar o tempo que terão para expor seus projetos na TV. A base aliada, com 17 partidos coligados, desponta com o maior tempo de exposição, enquanto nanicos, como a pré-candidata Marta Jane, do PCB, em coligação com o PSTU, se mantém com o tempo mínimo: aproximadamente 1’06.

O tempo para governador é contabilizado de forma diversa da campanha para presidente. Enquanto para os candidatos aos Executivos estaduais têm no total 20 minutos, os candidatos a presidir o país têm 25.

Desse total, 1/3 é dividido de forma igual entre todos os candidatos, independentemente das coligações. O restante é repartido conforme o tamanho da bancada de cada partido coligado na Câmara Federal.

Desta forma, o PT aparece na frente, com 86 deputados e o PMDB em seguida, com 71. Esses números deixam os partidos, a nível estadual, com aproximadamente 3 min e 2min30 de tempo de TV, respectivamente. No outro espectro, mais de 10 partidos não contarão com precisos segundos extras, já que não possuem representatividade na Câmara federal.

O advogado Danúbio […] ressalta que apesar de não haver possibilidade de mudança na legislação eleitoral até o pleito deste ano, tudo que pode ser feito até o momento são estimativas, já que o cálculo oficial é feito pela Justiça Eleitoral após o registro de todos os candidatos. Além disso, há casos de partidos que não definiram suas chapas para este ano, como é o caso de PCdoB e PPL, que devem acrescentar ao tempo de alguma chapa, provavelmente da oposição.

Com seis candidatos na disputa – Marconi Perillo (PSDB), Iris Rezende (PMDB), Antônio Gomide (PT), Vanderlan Cardoso (PSB), Weslei Garcia (Psol) e Marta Jane (PCB) – o tempo mínimo de TV (no caso 6min40 repartidos igualmente entre cada um deles) é de cerca de 1min06.

A base governista, contando com PP, PSD, PTB, PV, PSL, PTdoB, PR, PEN, PRB, PTC, PSDC, PPS, PHS, PMN, PDT e Pros, além do PSDB do governador, conta com aproximadamente 6min50 à sua disposição. É a coligação com mais da metade dos partidos que existem oficialmente em Goiás.

O PMDB, aliado a DEM e SDD, vai ter cerca de 4min45. Tem mais tempo que a chapa de Vanderlan, apesar de possuir menos legendas associadas.

O grupo do pessebista conta também com PTN, PRP e PSC, o que garante aproximadamente 1min46. É a maior chapa de oposição, mas ainda aparece atrás da petista.

Sem nenhuma aliança formalizada, Antônio Gomide deve contar apenas com a força de seu partido na Câmara Federal. Assim, ele terá aproximadamente 3 minutos para serem utilizados.

Weslei Garcia, do PSOL, também sozinho, deve contar com cerca de 1min24. Seu partido tem três deputados federais. Já o PCB, de Marta Jane, está associado a um partido que, assim como ele próprio, não possui representação na Câmara dos Deputados, e deve contar com o tempo base de 1min06.

Os números podem sofrer alterações até a data limite de registro das chapas majoritárias e proporcionais no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Além disso, as decisões do PCdoB e PPL vão provocar mudanças nas estimativas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.