Com 54 nomes para a disputa do legislativo em Goiânia, sigla acredita que a presença do presidente Samuel Almeida como cabeça de chapa vai fortalecer as candidaturas

Samuel Almeida, presidente estadual do PROS | Foto: Marcos Souza​

O Pros comemora a formação da chapa completa em Goiânia e Aparecida de Goiânia para as cadeiras do legislativo que serão disputadas neste ano. Em Aparecida, a condução foi feita pelo deputado Cairo Salim, que também completou as vagas do pleito. O presidente da sigla no Estado, Samuel Almeida, está otimista e acredita que o partido caminha no rumo certo ao priorizar a participação social. “A sociedade quer participar do governo. dentro dessa nova modalidade, procuramos estar alinhados com essa visão”, afirmou.

Ao Jornal Opção, ele contou como está os trabalhos para a construção das chapas. “Você forma as chapas baseado em palavras, em compromisso. Tenho 30 anos nessa área. A credibilidade na formação é fundamental”, contou. O partido havia eleito dois nomes na última eleição, além de um suplente. Com a saída desses nomes para outras siglas, o Pros optou por priorizar candidatos sem cadeira. “Ou se adotava o critério de só ter vereador na chapa ou nenhum. Então nosso critério foi: se tem vereador no partido, já descartava. Sem vereadores conseguimos fazer chapa imediata, assumindo compromisso com esse objetivo.”

Com alguns candidatos mais experientes que outros, Samuel diz que o partido já faz uma projeção das urnas. “É claro que é uma previsão. Alguns já disputaram, desses temos noção. Cerca de sete ou oito já podemos prever, assim como em Aparecida. Vamos sentar e pensar em cima da perspectiva, do perfil, para termos noção do que vamos conseguir. Acredito que sairemos muito vitoriosos em Aparecida e Goiânia”, disse. “Estou otimista. Ainda estamos tentando chegar no cálculo real. Acredito que entre dois, dois e meio a quatro eleitos”, avaliou Samuel.

Apoio

O presidente é pré-candidato à prefeitura em Goiânia e explica que, apesar das coligações proporcionais não existirem mais, as eleições majoritárias podem contar com apoios. Para isso, o Pros dialoga, atualmente, com três ou quatro partidos, mas ainda nada foi acertado. “Eu acho que por ter candidatura própria e [provavelmente] alianças, vamos conseguir votação muito boa. Na perspectiva de poder fica mais real o entusiasmo e a participação do vereador”, falou.

“Com esse alinhamento de partidos, com certeza quem tem candidatura majoritária terá aliança vitoriosa. Até porque a participação da candidatura majoritária terá aporte na candidatura dos vereadores”, ponderou. “Estamos trabalhando com avaliações de base, entendimentos em termos de partido e alianças políticas diversas. Estamos trabalhando com pesquisas e com participação social de forma diferenciada. Enxergamos que temos um modelo diferente de fazer política.”