Com áudio da PF, Sabrina Garcêz acusa Kajuru de receber dinheiro de Cachoeira

Kajuru disse que dinheiro vinha de anúncios do Laboratório Vitapan em sua TV e que assim que descobriu que empresa era da ex-mulher de Cachoeira, suspendeu o contrato

Sabrina Garcêz e Jorge Kajuru durante sessão desta terça-feira (14) | Foto: Alexandre Parrode / Jornal Opção

A vereadora Sabrina Garcêz (PMB) acusou, nesta terça-feira (14/2), o vereador Jorge Kajuru (PRP) de receber dinheiro do empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira. Ela afirmou que tem sofrido vários ataques gratuitos, mas que “não vai mais admitir” ataques à sua reputação.

“Ele me acusa de ter relações financeiras com Carlinhos Cachoeira, mas quem recebia dinheiro mensal dele era o vereador Kajuru”, afirmou, acrescentando que existem áudios da Polícia Federal que comprovam essas ações. “Não impute a mim ações que o senhor faz. Chegue à tribuna e apresente provas, o resto é só conversa”, disse para o colega parlamentar.

Kajuru se defendeu das acusações e explicou que o dinheiro a que Sabrina se referiu era, na verdade, proveniente de anúncios do Laboratório Vitapan feitos em 2011 na TV Kajuru. A empresa é da ex-esposa do empresário, Andréa Aprigio. “Quando fiquei sabendo que era do Cachoeira, eu mesmo cancelei o patrocínio”, afirmou.

Mais cedo, Kajuru havia subido à tribuna e denunciou a influência de Wladimir Garcêz na escolha da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a de maior importância na Casa. A presidente, Sabrina, é filha da ex-vereadora Cida Garcêz e sobrinha de Wladimir, um dos presos da Operação Montecarlo em 2012.

O vereador do PRP apresentou um áudio em que Sabrina afirmava que queria a presidência da CCJ. De acordo com a parlamentar, esse áudio foi de uma entrevista que ela concedeu na última sexta-feira (10/2), mas Kajuru tem que provar que houve ilegalidade na votação. “Por que ele não agiu no momento? Ele foi cúmplice?”, questionou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.