Com apoio do presidente, base trabalha para aprovação do projeto do IPTU/ITU

Anselmo Pereira, do PSDB, elogiou proposta apresentada pelo Paço Municipal. Vereadores devem apreciar matéria até o dia 20 de dezembro

Presidente da Câmara, Anselmo Pereira, e o líder do prefeito, Carlos Soares | Fotos: Câmara Municipal

Presidente da Câmara, Anselmo Pereira, e o líder do prefeito, Carlos Soares | Fotos: Câmara Municipal

A base aliada do prefeito Paulo Garcia (PT) na Câmara Municipal de Goiânia deu início ao trabalho de conscientização dos colegas para a aprovação do projeto que reajusta o IPTU e ITU na capital.

Na prática, a proposta não vai alterar o valor de mais de 80% dos imóveis; apenas uma pequena parcela terá aumento real de 15%  (mais a inflação). É mister ressaltar que os que se encontram dentro dessa faixa compõem a parte desatualizada há anos da Planta de Valores — sendo, inclusive, os de maior valor.

Presidente da Casa, Anselmo Pereira (PSDB) defende a proposta do Paço Municipal. “O projeto é fruto de trabalho diferenciado do que foi apresentado no ano passado e que foi rejeitado. A proposta atual promove justiça fiscal, paga mais quem tem mais, como deve ser.”

Líder da prefeitura na Câmara, Carlos Soares (PT) também elogia a matéria e garante que trabalhará para convencer os colegas. “Minha tarefa é viabilizar a aprovação e para isso vamos buscar o diálogo”, analisa. O petista cogita, inclusive, articular com a oposição. “Acredito que conseguiremos até a data da votação.”

PMDB

Bancada do PMDB se reune no diretório metropolitano | Fotos: Câmara de Goiânia

Bancada do PMDB se reune no diretório metropolitano | Fotos: Câmara de Goiânia

A bancada do PMDB na Câmara Municipal de Vereadores vai se reunir na sede do diretório metropolitano do partido para debater a atualização da Planta de Valores Imobiliários de Goiânia para 2016 e o reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU/ITU), na tarde de quinta-feira (19).

Especialmente após os bombardeios públicos entre o prefeito Paulo Garcia (PT), e os peemedebistas Agenor Mariano, seu vice, e o líder Iris Rezende. O encontro deve ser comandado pelo presidente do Diretório Metropolitano, o deputado estadual Bruno Peixoto.

“Vamos tratar disso, como será nosso posicionamento diante desse importante projeto. A prefeitura alega dificuldades, mas é possível sobressair sem aumentar taxas para os mais pobres”, afirma o vereador Mizair Lemes Júnior.

Além dele, compõe a bancada peemedebista o ex-presidente da Casa Clécio Alves (único a se manifestar contrário a qualquer tipo de aumento além do índice inflacionário até o momento), Célia Valadão, Eudes Vigor, Izídio Alves, Wellington Peixoto e Denício Trindade.

O projeto chegou à Casa na segunda-feira (16), foi lido no expediente da sessão desta manhã e encaminhado à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) para receber parecer antes de ir a Plenário para votação. O projeto tem que ser votado até o dia 20 de dezembro para valer no ano que. Ainda não foi definido o relator.

Bloco Moderado

Zander Fábio (PSL), líder do Bloco Moderado, afirmou não conhecer o teor do projeto, que será analisado cuidadosamente. O grupo é formado por mais três vereadores — Divino Rodrigues e Paulo da Farmácia (ambos do Pros) e Álvaro da Universo (PSC) — e fez a diferença nas votações de 2014 e 2013.

Leia mais:
Reajuste de 25% no IPTU só afetará 2 de cada 10 imóveis de Goiânia
Humberto Aidar defende renúncia de vice-prefeito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.