Presidente Lissauer Vieira disse que deputados poderão sentar para conversar sobre o assunto. Intenção por trás da medida seria dar mais flexibilidade aos deputados que estarão à serviço de suas bases na capital e no interior do Estado

Foto: Denise Xavier/Alego

Conforme mostrado pelo Jornal Opção, cogita-se, na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), a possibilidade de que seja realizada uma alteração nos dias e horários das sessões ordinárias realizadas no período das eleições municipais de 2020. A intenção por trás da medida seria dar mais flexibilidade aos deputados que estarão à serviço de suas bases na capital e no interior do Estado.

Questão cultural

Deputado estadual Helio de Sousa | Foto: Divulgação

A reportagem conversou com alguns parlamentares sobre a mudança que pode ser colocada sob discussão e votação do parlamento. Na interpretação do deputado Helio de Sousa (PSDB),  a ausência dos parlamentares no Plenário durante o período eleitoral “é uma questão cultural”. “Estou aqui há alguns anos e lamentavelmente, em ano eleitoral, os deputados, em sua maioria, não cumprem 100 % de sua carga horária em plenários”, declarou.

Em seguida, o tucano disse acreditar que a ideia apresentada pelo presidente Lissauer Vieira pode ajudar a reverter isso. “Vejo como o caminho certo. Talvez, adequando os horários das sessões, sem diminuí-las, poderemos garantir maior participação dos nossos deputados  e o melhor rendimento possível dado o período de eleições municipais”.

Mais facilidade

Deputado estadual Virmondes Cruvinel | Foto: Marcos Kennedy/Alego

Por sua vez, o deputado Virmondes Cruvinel (Cidadania) considerou que a legislação eleitoral deixou o tempo de campanha mais restrito. “Dessa maneira [com a aprovação da mudança de horários da sessões ordinárias] facilita muito o trabalho de quem irá colocar seu nome a disposição em suas cidades e precisa continuar exercendo a atividade parlamentar. Creio que, caso mude, não irá atrapalhar. Podemos pensar, sim, no próximo semestre, em facilitar as agendas e compromissos dos parlamentares neste período sem comprometer as atividades da Casa”.

Sem prejuízo

Deputado estadual Rafael Gouveia  | Foto: Divulgação

Rafael Gouveia (Progressistas) foi outro que saiu em defesa da iniciativa. “Temos percebido deputados comprometidos com os trabalhos aqui no Plenário. Foram poucas as vezes que não tivemos quórum. Mas conforme nos aproximamos das eleições, muitos precisam atender suas bases no interior do Estado. Logicamente as atividades políticas aumentam significativamente, por isso acredito que com o bom senso de todos os deputados chegaremos rapidamente a um consenso do que é melhor. Com certeza não iremos fazer nenhuma mudança que prejudique o andamento dos trabalhos no legislativo”, considerou.

Voto de solidariedade

Deputado estadual Major Araújo | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Para Major Araújo (PSL), hoje, o formato das campanhas é outro. “O grande problema é que na Alego temos parlamentar que serão candidatos no interior”, disse.  Para aqueles que vão disputar na própria capital – como é o seu caso -, segundo ele, não há dificuldades. “Eu mesmo não teria dificuldade alguma para comparecer. Mas compreendo a dificuldade dos colegas e se a matéria for colocada em votação no Plenário, votarei favorável em solidariedade aos deputados que se encontram nessas condições”.

“Maioria é que decide”

Presidente da Alego, deputado estadual Lissauer Vieira / Foto: Reprodução

Conforme adiantado anteriormente pela reportagem, o presidente da Alego, Lissauer Vieira, disse que, caso a alteração ocorra, as mudanças só valerão para o segundo semestre do ano, especificamente no período da eleições. “Não iremos mexer neste primeiro semestre. Mas podemos sentar e conversar sobre essa possibilidade para o segundo. A maioria é que decide. Assim funciona o parlamento. Portanto, se os deputados entenderem como pertinente iremos acatar e fazer valer”, declarou.