Com 106 mortos, Defesa Civil reconhece estado de calamidade em Petrópolis

Ao todo, dos 101 corpos que se encontram no IML, 65 são de mulheres, 36 de homens e 13 de menores

Em razão das intensas chuvas que atingiram a região de Petrópolis, no Rio de Janeiro, desde terça-feira, 15, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil reconheceu estado de calamidade pública no município. O reconhecimento foi publicado em portaria que consta na edição desta quinta-feira, 15, no Diário Oficial da União (DOU).

Ao todo, foram confirmadas 106 mortes pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil do Estado. Entre os mortos, grande parte são mulheres. Isso, porque dos 101 corpos que já estão no Instituto Médico Legal (IML) 65 são de mulheres e apenas 36 de homens. Além disso, foi confirmada a morte de 13 menores. Ao todo, apenas 33 corpos foram identificados e 134 pessoas permanecem desaparecidas.

As tragédias se iniciaram quando, no município fluminense, choveu em seis horas o que se era esperado para o mês inteiro. Por isso, nesta quinta-feira, 17, o Ministério da Defesa chegou a autorizar a atuação das Forças Armadas na região. Também foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), nesta quarta-feira, 16, que será editada uma medida provisória com a intensão de auxiliar a cidade.

Nos planos do presidente, também está a intensão de sobrevoar a região afetada nesta sexta-feira, 18, quando retornar ao Brasil de seu encontro com o primeiro-ministro da Hungria. “Pretendemos ganhar duas ou três horas para não só sobrevoar Petrópolis, mas para chegar antes de meio-dia no Galeão com os principais ministros bem como encontrar autoridades municipais. Irá conosco o governador Cláudio Castro (PL-RJ) para levarmos não só mensagem de apoio bem como buscar como a União pode colaborar com eles”, disse Bolsonaro.

Além do governo federal, o estado do Rio de Janeiro também autorizou, nesta quinta, o repasse de R$ 30 milhões a cidade de Petrópolis. O envio do recurso foi decidido pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e sancionada pelo governador Cláudio Castro (PL).

Também foi autorizado o adiamento do pagamento de impostos para cidades consideradas em situação de calamidade pública, de modo que o IPVA e o ICMS poderão ser pagos no segundo semestre de 2022. Ambas as regulamentações foram publicadas no Diário Oficial do Rio de Janeiro desta quinta-feira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.