Colégio WR pede à UFG aumento de 20% na nota de alunos goianos no Enem

Segundo nota assinada pelo diretor da escola, solicitação é um “clamor da família goiana para que os filhos possam servir ao próprio estado”

asdasd | Foto: Divulgação

Colégio alega que medida semelhante já foi adotada por outros quatro estados | Foto: Divulgação

Preocupado com a possível diminuição de alunos goianos na Universidade Federal de Goiás (UFG), agora que a Instituição adotou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Colégio WR divulgou um comunicado em que pede ao Centro de Seleção da UFG que aumente em 20% a nota dos alunos que forem de Goiás.

Segundo o comunicado, a razão da solicitação é o “clamor da família goiana para que os filhos permaneçam aqui, formem-se e possam servir a seu próprio Estado”. Para o diretor do colégio, Rubens Guimarães, estudar na UFG garantiria aos alunos maior segurança e estabilidade, pela proximidade da família.

O WR informa ter formalizado o pedido inspirado por medidas semelhantes tomadas por outras Universidades Federais. “(…) sabemos que este procedimento já é usado em outros estados como Rio Grande do Norte, Pará, Tocantins e Alagoas”, diz a nota.

No comunicado, o WR diz que sem o aumento da nota dos alunos goianos, eles podem “não ter o privilégio de cursar a universidade que tanto almejam”. A UFG informou, em nota, que “só se pronunciará oficialmente sobre a carta do Colégio WR na segunda-feira, dia 15 de junho.”

O comunicado completo pode ser conferido aqui.

2 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Felipe Flores

A intenção é boa, mas estão fazendo do jeito errado. O certo é que a educação seja mais rigorosa no ensino fundamental e médio pra esses alunos não precisarem de ’empurrãozinho’ no futuro.

A faculdade não é lugar de ensinar o que devia ser aprendido no ensino fundamental e médio. Ao fazer isso (dar o empurrãozinho) o aluno chega no curso superior despreparado e vai encontrar ‘n’ dificuldades pra dar prosseguimento no curso e não vão tirar o máximo proveito nem poder dar o máximo de si. Ex, como pode alguém que não sabe matemática passar pra um curso de contabilidade?

Lucas Santana

“pra”

Felipe Flores

Não achou o que criticar no meu argumento e quer questionar o uso de uma contração?
http://www.dicionariodoaurelio.com/pra

Felipe Flores

Pra não esta errado.
Pra é o mesmo que para. Então não sei porque você quer pousar de sabe tudo na internet tentando criticar o uso da redução da preposição para.
Uma coisa totalmente comum na linguagem coloquial e que não altera em nada o sentido da mensagem.

Luciana Brites

Interessante que os que estão pedindo medidas que favoreçam a permanência dos goianos são os que mais admiram o modelo norte-americano, no qual os jovens saem de casa aos 18, 19 anos e vão estudar em outras cidades, geralmente em universidades privadas, morar em campus e, principalmente, resolver os próprios problemas sem contar com a retaguarda de pai e mãe. Por outro lado, de nada adianta não gastar com mensalidade e ter que sustentar o filho em outro Estado. Complexo…