Codego anuncia providências para corrigir erros na construção do Anel Viário do DAIA

Operação Propinoduto investiga indícios de superfaturamento, fraude nas medições e pagamento de propina em favor de agentes públicos

Foto: Reprodução

Diretores e técnicos da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), acompanhados do presidente Marcos Cabral, se reuniram com a promotora de Justiça Sandra Mara Garbellini, da 15ª Promotoria de Anápolis, e com técnicos da Prefeitura para tomar providências imediatas e corrigir erros na construção do Anel Viário do Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), que resultaram em crimes, inclusive ambientais, praticados por governos anteriores.

Após a vistoria in loco, ficou definido que a Codego apresentará uma proposta de correção do projeto, incluindo etapas emergenciais e de médio prazo para solução definitiva do caso técnico, até o dia 25 de novembro.

Um termo de cooperação com a Prefeitura de Anápolis também foi proposto para a construção de redutores de velocidade no Anel Viário, já antecipando a chegada do período chuvoso, que pode provocar acidentes no local.

Histórico

O Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Centro de Inteligência do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) deflagraram em dezembro de 2018 a Operação Propinoduto. Os promotores de Justiça investigam o desvio do dinheiro público destinado à obra do Anel Viário que liga a BR-060 ao DAIA. Conforme o MP-GO, há indícios de superfaturamento, fraude nas medições e pagamento de propina em favor de agentes públicos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.