CNJ irá investigar desembargadora que fez postagem difamando Marielle

Marília Castro Neves disse que a vereadora assassinada tinha envolvimento com criminosos

Ministro João Otávio de Noronha | Foto: Divulgação/CNJ

O ministro João Otávio de Noronha, corregedor Nacional de Justiça,  anunciou nesta terça-feira (20/3) a abertura de procedimento para averiguar a conduta desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Marília Castro Neves, que criticou a vereadora Marielle Franco, assinada na última semana.

O Psol e a Associação Brasileira de Juristas para Democracia entraram no CNJ com duas representações contra a magistrada.

Ao comentar postagem de um advogado no Facebook, a magistrada afirmou que Marielle teria sido morta por conta de um acerto de contas com a facção criminosa Comando Vermelho.

Veja a nota do ministro:

“Diante das recentes notícias veiculadas em meios de comunicação sobre manifestações públicas da desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Marília Castro Neves, a respeito da vereadora carioca assassinada, Marielle Franco, o corregedor Nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, determinou a abertura de procedimento para averiguar os fatos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.