CNJ afasta juíza eleitoral após manifestações contra o PT

Processo começou a tramitar no CNJ no início de 2020, acionado pelo PT, com base em publicações da magistrada em redes sociais

A juíza eleitoral Regiane Tonet dos Santos foi afastada das funções eleitorais depois que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abriu um Processo Administrativo (PAD) contra ela. No processo, serão analisado as manifestações que Tonet fez contra o Partido dos Trabalhadores (PT) nas redes sociais. As publicações ocorreram entre os anos de 2017 e 2019. A juíza, que atuava na Justiça Eleitoral na cidade de Guaraniaçu, no Paraná, poderá seguir atuando na Justiça comum.

O processo começou a tramitar no CNJ no início de 2020, acionado pelo PT. Segundo a sigla, a juíza “não apresenta qualquer pudor em expor sua rejeição ao Partido dos Trabalhadores e seus filiados, inclusive às vésperas das eleições de 2018”. Na defesa do julgamento, a juíza alegou que manifestações eram críticas à corrupção. Segundo a defesa de Regiane Tonet, manifestações serão apresentadas apenas nos autos do processo disciplinar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.