Clubes goianos estão de olho nas premiações da Copa do Brasil

Atlético e Vila Nova embolsaram até agora, com as classificações na primeira e segunda fases da competição, R$ 2,6 milhões cada, o que pode chegar a até R$ 70 milhões para o campeão

Enquanto Atlético passou fácil pelo Uniclinic, ou Atlético do Ceará, o Vila sofreu para se classificar nos pênaltis contra a URT | Fotos: Ronaldo Oliveira e Vila Nova

Cilas Gontijo

Quatro clubes representavam o Estado na primeira fase da Copa do Brasil em 2019. Dois estão na Série B do Campeonato Brasileiro – Vila Nova e Atlético Goianiense -, um na primeira divisão – Goiás – e outro na D – Aparecidense.

Para muitos clubes, a Copa do Brasil é a oportunidade de ganhar uma grana extra. As premiações sobem a cada vitória conquistada. O campeão pode embolsar uma bolada de até R$ 70 milhões – R$ 52 milhões pela conquista somado ao que juntou desde o início da competição. Para os times de maior expressão é um jeito mais fácil de chegar à Libertadores.

Com as vitórias do meio da semana, Vila e Atlético já embolsaram cerca de R$ 2,6 milhões cada, dinheiro que com certeza será muito bem-vindo. A grana porque pode ajudar na realização de mais contratações.

Queda do Goiás
O todo poderoso Goiás deu vexame ao jogar em casa e empatar com o CRB no tempo normal por 1 a 1. O gol sofrido foi um frangaço do goleiro Sidão, que, aliás, já está acostumado a engolis alguns perus por onde passou na carreira. Para piorar, a partida marcou a eliminação do Verdão nos pênaltis, ainda na segunda fase da Copa do Brasil.

O Dragão tem apresentado bom futebol em suas partidas e goleou por 4 a 0 o xará cearense fora de casa. Com a vitória, o Atlético chega à terceira fase da competição. O adversário do time do bairro de Campinas só será conhecido no dia 7 de março, quando Santos e América de Natal (RN) se enfrentam. Até lá o Dragão segue na disputa pelo título do Campeonato Goiano.

Já o Tigrão não teve facilidade diante da URT em Patos de Minas. Jogando na casa do rival, o time goiano não conseguiu apresentar um bom futebol e foi sufocado pela equipe local. Com a torcida embalada pela boa campanha no Campeonato Mineiro, a URT empatou em 2 a 2 a partida pela Copa do Brasil.

A decisão favorável ao Vila Nova só veio nas penalidades, com demonstração de incompetência tanto do Tigrão quanto da URT nas cobranças. O time mineiro esteve com a possibilidade de seguir em frente na Copa do Brasil por três vezes e não conseguiu vencer a a disputa por pênaltis.

Os goianos deram a volta por cima nas cobranças alternadas. O goleiro Rafael Santos, que era contestado desde o ano passado, defendeu duas penalidades e converteu quando chegou a sua vez de bater. Com isso, Rafael Santos voltou a cair na graça dos torcedores. Pelo menos por enquanto.

Em 2018, o jogador foi expulso em partida decisiva da Série B do Campeonato Brasileiro contra o Londrina no Paraná. A partida estava 2 a 2 e o Vila Nova tinha chances de conseguir o acesso à primeira divisão. Rafael Santos atingiu o rosto de Paulinho Moccelin no final do jogo, foi expulso e viu Dagoberto fazer 3 a 2 para a equipe paranaense. Quatro meses depois, o goleiro voltou a ser saudado pela torcida na classificação na Copa do Brasil contra a URT.

Depois de oito cobranças para cada lado, o Vila venceu por 5 a 4 e avança para terceira fase. Seu adversário sairá dos confrontos entre Bragantino do Pará contra o vencedor de Aparecidense e Ponte Preta. A definição deve demorar.

Situação da Aparecidense
A vitória de 1 a 0 da Aparecidense em casa sobre Macaca ainda na primeira partida da Copa do Brasil foi suspensa pela Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e a briga na Corte pode ir longe. Enquanto isso, o Tigrão segue na disputa pelo titulo do Goianão. Com o cancelamento da partida, após o pleno do STJD entender que houve interferência externa na hora de anular o gol impedido de empate da Ponte Preta, ainda não se sabe como esse história terminará.

Os dois clubes aguardam a marcação de uma nova data para disputar a partida. Mas a Aparecidense promete pedir uma série de liminares para impedir que a vitória da equipe na primeira fase seja anulada. Com isso, a disputa no Tribunal permanece.

Na próxima fase da Copa do Brasil, os jogos serão de ida e volta. Para os dirigentes dos clubes que disputam a competição, disputar uma partida em casa e outra fora seria o modelo mais justo, já que cada time tem a oportunidade de jogar diante de seus torcedores e as chances de classificação seriam equilibradas.

Para os clubes goianos que seguem na competição, quem conseguir se classificar para a quarta fase da Copa do Brasil vai embolsar R$ 1,9 milhão. Somado aos R$ 2,6 milhões já conquistados nos prêmios da primeira e segunda partidas disputadas, o caixa receberá R$ 4,5 milhões com mais um avanço. O recurso é importante para terminar de arrumar os times de olho na disputa do Campeonato Brasileiro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.