“Clientes vão poder ficar com um pedaço da história da Cara Vídeo”, diz proprietário

Com o fim da locadora, sócios decidiram colocar acervo a venda para frequentadores poderem levar uma parte da empresa para casa

Kleber e Mazukielves, decididos a deixar Goiânia, fecham as portas da Cara Filmes, em atividade desde 1988 | Foto: Reprodução/Facebook

Kleber e Mazukielves, decididos a deixar Goiânia, fecham as portas da Cara Filmes, em atividade desde 1988, depois de busca por comprador que mantivesse o formato da locadora | Foto: Reprodução/Facebook

Sim. A Cara Filmes, conhecida por seu acervo de filmes raros e diversificado, vai fechar depois de 28 anos de história. Iniciada como Cara Vídeo em 1988 no setor Crimeia Leste por Sérgio Bernardoni, a loja foi adquirida por Kleber Morais e Mazukielves Morais em 2013.

Mazukielves é, inclusive, o funcionário mais antigo da Cara Filmes. Em 2016 ele completaria 16 anos na locadora. O planejamento feito pelos dois em 2013, quando compraram a Cara, garantiria pelo menos mais cinco anos de vida plena para as finanças da locadora, com possibilidade real de manter a loja aberta.

“Os clientes continuam indo, mas a frequência é menor. Mas mesmo com essa frequência menor a empresa se sustenta tranquilamente”, explica Kleber. Com perfil de público fiel, interessado no acervo raro e “peculiar” da Cara Filmes, a loja registra mensalmente de 350 a 400 cadastros e recadastros.

Se um cliente fica mais de 12 meses sem alugar filmes na locadora, seu cadastro é desativado. “Em 2016, nós temos concorrentes indiretos, como a pirataria, a TV a cabo e os serviços de streaming, como a Netflix”, descreve Kleber.

Mesmo com toda essa concorrência, Kleber explica que o público fiel da Cara Filmes sabe que a locadora tem títulos que não vão ser encontrados em outro lugar.

A estimativa dos dois sócios proprietários é de que hoje a Cara Filmes tenha em seu acervo aproximadamente 26 mil filmes, com mais de 18 mil títulos diferentes, nos formatos DVD, Blu-Ray e VHS. E com a decisão de fechar a locadora, todos os títulos começarão a ser vendidos separadamente a partir de quarta-feira (10/2) por preços que variam de R$ 14,99 a R$ 39,99.

“A gente poderia encaixotar tudo e levar”, contou Kleber. Mas os dois decidiram vender para os clientes. “Os clientes construíram essa história e vão poder ficar com um pedaço dela.”

Tentativas de venda

Na foto, Mazukielves, sócio proprietário e o funcionário mais antigo da Cara Filmes, ao lado do fundador da locadora, Sérgio

Na foto, Mazukielves, sócio proprietário e o funcionário mais antigo da Cara Filmes, ao lado do fundador da locadora, Sérgio Bernardoni | Foto: Reprodução/Instagram

A decisão de fechar a Cara Filmes a partir de março e mudar de atividade comercial já é tida pelos dois como sem volta. “Vamos ficar três meses de férias na Europa e depois vamos decidir o que fazer”, diz Kleber.

Há a possibilidade de começarem outro negócio no setor de turismo no litoral brasileiro, sem saber em qual lugar, ou até não voltarem para o Brasil. Goiânia não está mais nos planos de Kleber e Mazukielves. E é bem provável que Goiás também não, como explica Kleber.

Não foi por falta de cliente, mas pela inexistência de uma proposta consistente para manter a Cara Filmes com a mesma proposta nas mãos de outro empresário ou grupo. “Tivemos duas ou três possíveis interessados, mas propostas de compra de todo o acervo fechado ou para manter como locadora, mas mudar o formato da empresa. Não aceitamos.”

De acordo com Kleber, a ideia era de que a pessoa que assumisse a Cara Filmes continuasse com a proposta de ser uma locadora que atualiza constantemente seu acervo com filmes comercias e filmes raros, independentes, e mantivesse o atual formato. “Outro ponto é o aluguel do espaço, de quatro anos, que se encerra em março”, afirma.

Tristeza

“A gente lamenta por fechar a Cara Filmes.” Kleber, dividido entre a tristeza de encerrar as atividades da locadora e feliz pelo carinho recebido dos clientes desde o anúncio, disse que a capital perde mais uma opção cultural. “A Cara, com quase 28 anos, representa um terço (1/3) da história de Goiânia.”

O sentimento que ele disse ter o de gratidão vindo de recados, comentários e conversas com os clientes da empresa. “A gente vai deixar os clientes um pouco órfãos. A decisão é, por um lado, de um pesar muito grande”, descreve.

Mazukielves e Kleber decidiram repassar todo o acervo da Cara Filmes aos clientes no fechamento da locadora. “Não vamos deixar nada separado para nós. Vamos levar só a experiência maravilhosa que tivemos nessa empresa que tem uma história fantástica.”

Com acervo com aproximadamente 26 mil filmes, material será colocado a venda a partir de quarta-feira (10/2) | Foto: Reprodução/Instagram

Acervo de aproximadamente 26 mil filmes será colocado a venda a partir de quarta-feira (10/2) | Foto: Reprodução/Instagram

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Rubens

Gostaria de adquirir o filme Maria filha de seu filho ainda está disponível eu loquei ele por varias vezes quando ainda tinha esta locadora