“Classes mais vulneráveis não podem ser massacradas”, diz Lêda Borges sobre Previdência em Goiás

Deputada aguarda conclusão da votação sobre a reforma feita pelo governo federal para fazer avaliação e justifica que destaques podem trazer novas mudanças

Lêda Borges | Foto: Felipe Cardoso / Jornal Opção

A deputada estadual Lêda Borges (PSDB) afirmou ao Jornal Opção que sua maior preocupação sobre a reforma da Previdência que será discutida no âmbito estadual é em relação às classes mais vulneráveis. “O governador [Ronaldo Caiado] deve encaminhar a reforma para o estado de Goiás, e minha atenção e maior preocupação é com os trabalhadores, mulheres, deficientes e pensionistas. As classes mais vulneráveis não podem ser massacradas”, afirmou.

Segundo a parlamentar, a reforma tributária seria mais importante neste momento, “pois ela traz crescimento, distribuição de receita e ainda não foi aprovada”. No entanto, Lêda reconhece que o déficit previdenciário existe.

“Há uma Lei federal que permite que o Executivo federal retire 30% para outros investimentos, sou contra isso. A previdência não é deficitária, ela se tornou deficitária por conta dessa retirada de recursos. Por isso entendo que a tributária é mais importante”, argumentou.

Sobre a reforma da Previdência que está em tramitação no âmbito federal, Lêda prefere aguardar o texto final para fazer uma avaliação, por conta dos destaques que podem trazer novas mudanças.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.