Cidade sitiada: assalto de grandes proporções aterroriza moradores de Criciúma na madrugada desta terça-feira, 1°

Criminosos bloquearam entradas da cidade, localizada no sudeste de Santa Catarina, e estão atirando para o alto com armas como fuzis .556 e .762

Um grupo fortemente armado está fazendo uma onda de assaltos a bancos em Criciúma, no sudeste de Santa Catarina, desde a meia-noite desta terça-feira, 1º. A polícia ainda não tem informações sobre quantas pessoas participam do crime e nem de onde eles são. Há reféns, mas ainda não se sabe quantos.

Para evitar a chegada de reforço policial, o grupo bloqueou as entradas da cidade.

O relações públicas da 6ª região de Polícia Militar do Estado, soldado Marques, afirmou que os bandidos portam fuzis .556 e .762 e estão dando tiros para o alto. Além disso, eles usam carros de alto padrão de marcas como Audi e Jetta e, também, caminhonetes. Vidraças de casas e apartamentos foram atingidas pelos disparos. As autoridades orientaram para que a população não saia de casa e se mantenha longe das janelas.

A ação do grupo acontece principalmente no centro da cidade, onde os bancos são próximos uns dos outros. A polícia suspeita que eles tenham invadido agências da Caixa Econômica Federal, do Itaú, do Banco do Brasil e do Banrisul.

O prefeito do município, Clésio Salvaro (PSDB), disse que está acompanhando o assalto “com muita preocupação” e que cidade está sitiada. “É um assalto de grandes proporções com bandidos muito bem preparados”, ressaltou. Salvaro reiterou o pedido para que a população não saia de casa. “Vamos deixar a polícia fazer o papel da polícia”, disse.

Apesar dos apelos para que ninguém saia na rua, vídeos compartilhados nas redes sociais mostram moradores recolhendo o dinheiro que os bandidos deixaram para trás.

(Com informações do portal Estadão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.