Chefe de manutenção do Parque Mutirama diz que estava trabalhando sem receber

Em depoimento, mecânico afirmou que estava com “trabalho em dia”, mas fazia serviços de forma voluntária

Dois funcionários do parque Mutirama prestaram depoimento nesta sexta-feira (18/8) no 1° Distrito Policial (DP) de Goiânia sobre o acidente com um brinquedo Twister, que deixou treze pessoas feridas em julho deste ano.

Em entrevista ao Jornal Opção, o delegado Isaias de Araújo Pinheiro, o chefe da manutenção dos brinquedos alegou que trabalhava sem receber o pagamento, mas que o “trabalho estava em dia”. “Ele afirmou que estava trabalhando voluntariamente”, afirmou.

De acordo com Isaias, o mecânica foi demitido em dezembro do ano passado e, desde então, não tinha contrato com a Prefeitura de Goiânia.

Além dele, a responsável pelas compras de peças e reposição também foi ouvida.

O delegado indicou ainda os próximos passo da investigação. Ainda nesta sexta-feira (18/8), a vítima Iraci Francisca, que ainda está internada no Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO), será ouvida.

Nas próximas semanas, dois engenheiros envolvidos com o parque também serão ouvidos, além do proprietário da empresa com sede em São Paulo e que reformou o brinquedo.

Tragédia

O grave acidente deixou 13 pessoas feridas. A atração chamada “Twister” sofreu uma pane, jogando as pessoas ao chão. Vídeos postados nas redes sociais mostram o desespero de quem estava no local após o ocorrido.

Responsável pelo Mutirama, o diretor Frank Fraga classificou o ocorrido como uma “tragédia” e garantiu que a manutenção é feita periodicamente.

Desde então, o parque está interditado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.