Charlie Hebdo causa revolta após zombar de vítimas de terremoto na Itália

Tragédia que deixou quase 300 mortos foi comparada à culinária do país

Reprodução

Reprodução

O jornal francês “Charlie Hebdo” voltou a causar polêmica, nesta sexta-feira (2/9), após publicação de uma charge que satiriza as vítimas do terremoto que abalou a região central da Itália, há uma semana. A tragédia deixou quase 300 mortos e mais de 360 feridos.

No desenho intitulado “Terremoto à italiana”, o jornal mostra um desenho de um homem coberto de sangue, classificando-o como “penne ao molho de tomate”, uma mulher machucada, chamada de “penne gratinado”, e, por fim, uma pilha de corpos ensaguentados legendada pela publicação como “lasanha”.

Nas redes sociais, o “humor negro” da publicação gerou revolta e críticas de internautas, que condenaram a sátira. Sergio Pirozzi, prefeito da cidade italiana de Amatrice, atingida pelo terremoto, repudiou a imagem e pediu repeito às vítimas. Representantes de todos os grandes partidos políticos da Itália também criticaram o jornal.

Esta não é a primeira vez que o periódico gera polêmica por suas sátiras polêmicas. Em novembro de 2015, uma semana após os atentados de Paris, a publicação trouxe em sua capa uma charge que mostrava um francês com o corpo furado por tiros bebendo champanhe.

Meses antes, em janeiro do ano passado, o jornal, famoso também por suas sátiras à religião muçulmana, foi invadido por terroristas, que abriram fogo contra jornalistas e funcionários, deixando 12 pessoas mortas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.