Chapa do PCdoB consegue atingir 50% de mulheres, diz Isaura Lemos 

Presidente do partido cogita também lançar candidatura a deputada estadual ou federal

O Partido Comunista do Brasil (PC do B) conseguiu formar uma chapa acima do percentual de gênero exigido pela legislação eleitoral. Segundo a presidente da sigla, a ex-deputada estadual Isaura Lemos, nestas eleições, o número de candidatos está equilibrado em 50% de homens e 50% de mulheres. Caso precise, o nome dela também engrossará a lista. “Eu estou colocando meu nome à disposição do partido, ou para uma candidatura estadual ou para uma candidatura federal. A federal a gente sabe a dificuldade. Nós temos uma chapa forte, mas também um quociente eleitoral muito alto”, disse.     

Lemos foi candidata a deputada federal nas eleições de 2018, conquistando 24.258 votos, em ‘dobradinha’ com a filha, Tatiana Lemos, que concorreu a deputada estadual, obtendo 15.087. Como se tratou de uma eleição ainda com coligação e na época o PCdoB disputou a eleição com o PT, as duas ficaram como suplentes do deputado federal Rubens Otoni e da deputada estadual Adriana Accorsi, respectivamente. Tatiana, que atualmente comanda a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, não será candidata nestas eleições.
 
Para a próxima disputa em 2 de outubro, o partido comunista aposta em nomes ligados ao segmento sindical, da educação e de movimentos de luta por moradia. Dentre os quais, o professor Railton Souza, que preside o Sinpro Goiás, CTB Goiás e o Comitê Municipal do PCdoB em Goiânia, a ex-diretora da faculdade de direito da Universidade Federal de Goiás (UFG), professora Bartira, e o vereador por Goianira, Marcão das Casinhas.

Nacionalmente, o PCdoB fechou federação com PT e PV, assim, juntos terão que lançar uma chapa, com cada partido indicando nomes para disputar a eleição deste ano, seja para deputado federal ou estadual. Para majoritária, os três partidos formam um bloco com o PSB que pode lançar o ex-governador tucano José Eliton, para o Palácio das Esmeraldas, juntamente com o ex-reitor da Universidade Católica de Goiás (UFG), Wolmir Amado. Já a sigla de Lemos quer indicar a candidatura ao Senado, no momento, o nome mais cotado é da ex-deputada estadual Denise Carvalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.