Chances de sobreviventes em deslizamentos na Baixada Santista caem para 32%

Até agora, bombeiros encontraram 21 corpos. 28 pessoas estão desaparecidas

Dentre os mortos nos deslizamentos, dois eram bombeiros que realizavam tentativa de resgate / Foto: AFP/ Guilherme Dionizio

De acordo com a Defesa Civil do Estado de São Paulo, as chances de encontrar pessoas soterradas na Baixada Santista caíram para 32% nesta quarta-feira, conforme informado pela Folha de São Paulo.

As últimas informações são que 21 corpos foram encontrados e outras 28 pessoas continuam desaparecidas. Elas são vítimas de um deslizamento de terra consequente das fortes chuvas que têm caído ao longo desta semana, desde a madrugada de segunda para terça-feira.

“Milagres são possíveis”, falou o tenente-coronel Henguel Ricardo Pereira, diretor estadual de Proteção e Defesa Civil. “Há possibilidades de que se tenham criado células de sobrevivência”, comentou de ter esclarecido que após quatros dias as chances de encontrar alguém com vida são descartadas.

As buscas são realizadas por bombeiros e voluntários. Em alguns locais onde máquinas conseguem adentrar, são utilizadas. No Guarujá, dois bombeiros que tentavam resgatar uma mãe com seu bebê também foram engolidos pela solo e morreram. No Guarujá foram confirmadas, até agora, 17 mortes. Em Santos, 3, e, São Vicente, 1.

Tempestade

Já na terça-feira, 3, o Corpo de Bombeiros registrou o desaparecimento de 30 pessoas na Baixada Santista, após um temporal que começou na noite de segunda-feira, 2. Além dos deslizamentos de terra, as cidades sofreram alagamentos, e quedas de barreiras em rodovias.

Informações do Inmet são de que São Paulo já ultrapassou a quantidade de chuva esperada para o mês março. No Guarujá, cerca de 200 pessoas ficaram desalojadas e se abrigam em escolas públicas. Valter Suman, prefeito da cidade, decretou estado de emergência.

Entre as vítimas, estão Tathiana Lopes, de 25 anos, e seu filho, o bebê Arthur, de apenas dez meses. Cabo Rogério de Moraes Santos e cabo Marciel de Souza Batalha foram soterrados tentando socorrer as vítimas.

Já em São Vicente, os bombeiros procuram por um casal que saía de casa no momento da tempestade, foram arrastados pela chuva e desapareceu. Um idoso também foi soterrado depois do banheiro de uma clínica de repouso, na Vila Valença, ceder.

Em Santos, o Samu atendeu a sete chamados relacionados à chuva. Em um deles, uma mulher de 30 anos morreu após deslizamento no MOrro do Tetéu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.