Chamado de “chefe de quadrilha”, Temer processa Cid Gomes

Vice-presidente da República vai à Justiça contra o ex-governador cearense

Michel Temer e o então ministro Cid Gomes: judicialização de desavenças | Fotos: Antônio Cruz / Agência Brasil

Michel Temer e o então ministro Cid Gomes: judicialização de desavenças | Fotos: Antônio Cruz / Agência Brasil

O ex-ministro da Educação de Dilma Rousseff e ex-governador do Ceará, Cid Gomes, deu mais uma prova de que é mesmo irmão de Ciro, outro boquirroto incorrigível.

Cid falou coisas que não pode provar em relação ao vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer (SP), que decidiu processar o ex-governador cearense.

As informações são do site do jornal “Correio Braziliense”, postada na manhã desta quarta-feira (6/1). O que motivou a ação foram declarações feitas durante convenção do PDT, no dia 17 de outubro passado, quando Cid se filiou à legenda. Na solenidade, Cid acusou Temer de ser “chefe da quadrilha de achacadores que assola o Brasil” e disse que o País não iria avançar com o PMDB no Palácio do Planalto.

O cearense disse que o Brasil não pode avançar se entregar a Presidência da República ao símbolo do que há de mais fisiológico e podre na política brasileira, que é o PMDB liderado por Michel Temer, “chefe dessa quadrilha que achaca e assola o nosso País”.

Temer e o PMDB ingressaram, no dia 5 de novembro, com representação criminal na Justiça Federal de Brasília contra Cid acusando-o de ter cometido os crimes de calúnia, injúria e difamação. O vice-presidente pede que as eventuais penas sejam aumentadas em um terço por três motivos: o crime ter sido cometido contra funcionário público, em razão de suas funções; na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação do fato; e contra pessoa maior de 60 anos.

Segundo o jornal, parecer do Ministério Público Federal no Distrito Federal foi pelo parcial recebimento da queixa-crime proposta por Temer. A Justiça Federal do DF não discutiu ainda o mérito da ação.

O juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal, decidiu remeter o caso para a Justiça Federal do Ceará por entender que a Seção Judiciária de Brasília não é competente para processar e julgar o fato. Segundo o magistrado, o Código de Processo Penal prevê que a competência será fixada em razão do lugar em que se consuma a infração – no caso, em Fortaleza. O caso ainda não chegou formalmente ao Judiciário cearense.

Cid e seu irmão Ciro Gomes – cotado para ser candidato a presidente pelo PDT em 2018 – são duros críticos da aliança de Dilma, que foi filiada do partido, com o PMDB. Na terça-feira, 5, Cid sugeriu à presidente que deixe o PT e se declare alheia ao processo eleitoral da sua sucessão como forma de tentar reverter os baixos índices de popularidade.

Ciro Gomes, irmão mais velho de Cid, já foi processado várias vezes por caluniar pessoas, como o ex-governador de Goiás Henrique Santillo, que foi ministro da Saúde no governo Itamar Franco, em 1993. No programa Roda Viva, da TV Cultura, Ciro chamou Santillo de corrupto e disse que ele não era pessoa séria. O ex-governador goiano processou o paulistano radicado no Ceará, que foi condenado a pagar indenização à família de Henrique Santillo, morto em 2002.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.