Centrão negocia pontos da reforma da Previdência com governo e Elias Vaz reage: ‘não tem conserto’

“Espinha dorsal da reforma da Previdência é contra os trabalhadores que ganham pouco. Isso não será mudado”, defende deputado

O deputado federal Elias Vaz (PSB) falou ao Jornal Opção sobre a votação da reforma da Previdência, nesta terça, 23, na Comissão de Constituição e Justiça._Jornal Opção
Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O deputado federal Elias Vaz (PSB) falou ao Jornal Opção sobre a votação da reforma da Previdência, nesta terça, 23, na Comissão de Constituição e Justiça. O parlamentar avaliou que os acordos realizados pelo governo federal com o centrão para garantir a aprovação do texto “com tranquilidade” não diminuem os prejuízos à população brasileira.  “O projeto é o mais cruel do país e não tem conserto”, disse.

Elias Vaz também criticou o sigilo sobre os estudos que embasam a proposta do governo Jair Bolsonaro. “Eles estão tentando esconder os cálculos técnicos porque seriam desmascarados. Isso iria desmoralizar o discurso deles”, alegou o deputado. “É absurdo o parlamentar não ter acesso aos dados, um tapa na cara de todos os brasileiros. Esse projeto tem tanto absurdo, existem mais questões do que os itens divulgados e ‘negociados’ pelo governo como a possibilidade de mudança na idade de aposentadoria compulsória”.  

Segundo ele, ao analisar as projeções da reforma, observa-se que quase 70% da economia sairá do regime geral. “Estão querendo economizar em cima dos injustiçados. É impossível dizer que essa reforma combaterá privilégios como estão tentando vender”, destacou Elias ao citar trabalho realizado pela oposição na tentativa de barrar aprovação do texto.

À reportagem, Elias explicou que apesar do embate com a oposição, acredita que a reforma passará na CCJ.  “Dois parlamentares do nosso partido, Aliel Machado e Alessandro Molon, remeteram mandados de segurança contra esse absurdo que é o parlamentar ter que votar sem conhecer todos os detalhes do projeto em pauta”, disse o deputado.

“Existe um compromisso de mudanças, mas esse projeto não tem conserto. Mais de 90% dele é composto por maldades. A espinha dorsal da reforma da Previdência é contra os trabalhadores que ganham pouco. Isso não será mudado”, concluiu o parlamentar. 

Saída

Para o parlamentar goiano, quando se fala em “problema fiscal” é preciso observar a questão da renúncia fiscal e uma reforma tributária séria que trate a questão dos lucros e dividendos. “Esse texto que estão tentando aprovar não contempla medidas que afetam os poderosos”, observou Elias Vaz.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Graça Moraes

Deputado Elias Vaz, grata por estar ao lado dos mais fragilizados! 🌠🙌