Integrantes da comissão alertam para histórico das empresas que participaram da licitação dos fotossensores 

Após sinalização da gestão Iris Rezende (PMDB) de que assinará contrato com Empresa Eliseu Kopp mesmo diante de evidências de irregularidades, os vereadores membros da Comissão Especial de Inquérito que investiga a Secretaria Municipal de Trânsito de Goiânia (SMT) vão ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) nesta quinta-feira (11/5) apresentar documentos que, segundo os parlamentares, comprovam fraude no contrato.

[relacionadas artigos=”94057″]

Segundo o  relator da CEI, delegado Eduardo Prado (PV), além da vencedora do processo licitatório, Eliseu Kopp, a comissão também deve investigar as outras empresas que depois questionaram o certame.

“O contrato  já foi homologado porque existe um parecer da procuradoria do município favorável à assinatura e uma urgência para que a fiscalização volte a funcionar, mas é preciso averiguar também a situação das outras empresas que concorriam à licitação, se não existe um conluio entre elas”, disse o vereador do PV.

Além disso, ele alerta para o caso de a prefeitura fazer um contrato emergencial, caso uma decisão liminar impeça a assinatura do contrato. “Se houver alguma dúvida, que a justiça suspenda. Como CEI, vamos continuar investigando mais detalhadamente todo o processo licitatório”.

Já o presidente da CEI, vereador Elias Vaz (PSB), ressalta o histórico da empresa escolhida para gerenciar os fotossensores. “A empresa está envolvida em irregularidades em vários estados. O dono já foi até preso em operação da Polícia Federal”, conta o vereador Elias Vaz (PSB).

Segundo Elias, o empresário Eliseu Kopp deve ser convocado para prestar depoimento à comissão.