CEI da SMT passa a investigar contrato dos fotossensores

Vereadores irão ouvir autores de denúncias de supostas irregularidades relacionadas à empresa Trana, que opera o equipamento nos corredores de ônibus em Goiânia

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara Municipal de Goiânia que investiga possíveis irregularidades no âmbito da Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) passa a investigar a partir da próxima oitiva o contrato de prestação de serviços de monitoramento na capital.

Para a próxima reunião, marcada para terça-feira (2/5), às 14 horas, serão convocados os servidores Juliano Paula de Freitas, agente de trânsito e engenheiro de computação; Alexandre Umbelino, ex-diretor de trânsito e Idemêres de Moura, agente e ex-supervisora de radar estático.

Entre os anos de 2013 e 2014, eles elaboraram um relatório interno indicando várias irregularidades e fazendo acusações contra a contratação da Trana para realizar o serviço. Segundo o presidente da comissão, vereador Elias Vaz (PSB), o documento elaborado pelos funcionários aponta cobrança indevida de multas, cancelamento indevido de cobranças e ainda a prestação de um serviço de qualidade ruim.

“São funcionários indignados com a relação da SMT com esta empresa, que até hoje detém o contrato. Queremos saber o teor deste relatório em detalhes e saber também por que nada foi feito”, disse Elias.

A questão contratual já foi alvo de questionamento dos vereadores e Ministério Público de Goiás chegou a apresentar denúncia contra cinco ex-secretários municipais de Trânsito, o procurador-geral do município, Carlos de Freitas, e a empresa Trana Tecnologia da Informação e Construções Ltda, por irregularidades em contrato de prestação de serviços de monitoramento na capital.

Deixe um comentário