CEI da Herança convoca ex-secretário de Finanças de Paulo Garcia

Jeovalter Correia prestará esclarecimentos na próxima reunião da comissão na Câmara Municipal. O atual secretário Oseias Pacheco também deve comparecer

CEI da Herança ouvirá ex-secretário Jeovalter Correia | Foto: Câmara Municipal

Está confirmada a ida do último secretário de Finanças de Goiânia da gestão do ex-prefeito Paulo Garcia (PT), Jeovalter Correia, à Câmara Municipal na próxima quarta-feira (12/4). Correia foi convocado a prestar esclarecimentos à Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Herança, que investiga as contas da Prefeitura de Goiânia nos últimos oito anos. Ele responderá questionamentos sobre a situação financeira deixada pela gestão passada.

Também deve estar presente o atual secretário de Finanças de Iris Rezende (PMDB), Oseias Pacheco. A atual administração alega que encontrou um rombo de R$ 600 milhões, além de déficit mensal na ordem de R$ 30 milhões. A reunião acontece às 14h30 na sala de reuniões da presidência da Câmara.

Além disso, também houve requerimento para que comparecesse à Casa o ex-secretário Cairo Peixoto que, em 2014, ficou apenas três meses à frente da secretaria de Finanças e deixou a pasta para dar lugar a Jeovalter após discordâncias com o então prefeito Paulo Garcia. A CEI da Herança também convocou os ex-secretários de Saúde Fernando Machado e Paulo Rassi. Todos esses ainda sem data para comparecerem à Câmara.

“Estamos nos inteirando de toda documentação, que é extensa e boa parte ainda está chegando. O que queremos saber é em que ponto essa ‘herança maldita’ foi criada, qual a origem desse rombo que vem sendo passado há vários anos. Mas ressaltamos também que, quando você assume um mandato, assume o bônus e o ônus. Queremos saber em que ponto foram criadas, mas faz parte do governo ter que saná-las”, pontou o presidente da CEI, vereador Zander Fábio (PEN).

Para o relator, vereador Jorge Kajuru (PRP), a reunião da próxima quarta-feira (12) com os secretários de Finanças será um dos pontos decisivos dos trabalhos investigativos. “Vai mostrar o naufrágio do rombo financeiro das contas públicas desses nove anos”, disse.

Sobre o teor do parecer, o vereador antecipa que já possui documentação suficiente para desencadear ações judiciais contra funcionários da prefeitura e gestores envolvidos em possíveis irregularidades.

“Prefiro esperar a conclusão de todos os questionamentos, mas antecipo que meu relatório será rigoroso, repleto de motivos para prender pessoas, desde gestores a prefeito e secretários. Não há dúvida da existência de irregularidades gravíssimas. A documentação até agora já é farta e será muito mais daqui para frente”, afirmou ao Jornal Opção.

A CEI iniciada no último dia 23 de março terá uma duração de 60 dias, prorrogáveis por mais 60. Segundo a vereadora Prisicilla Tejota (PSD), integrante da comissão, por causa da demora na obtenção de dados e documentos, é provável que haja a prorrogação dos trabalhos.  “O TCM [Tribunal de Contas dos Municípios] tem sido fundamental para o bom andamento dos trabalhos, fornecendo ajuda documental e até de pessoal, mas nada do que foi solicitado à prefeitura até hoje foi encaminhado”, explicou.

Deixe um comentário