Cei da Educação: Irregularidades envolvendo escola municipal pode levar à suspensão das matrículas/2020

Presidente do Conselho de Educação afirma que apontou problemas na estrutura da Escola Donata Monteiro da Motta em 2015

Foto: Reprodução

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga a Educação em Goiânia ouviu nesta segunda-feira, 24, a presidente do Conselho Municipal de Educação, Acácia Aparecida Brigel. O principal questionamento da relatora Dra. Cristina (PSDB) e da presidente da CEI, Sabrina Garcêz (PTB), foi com relação à Escola Donata Monteiro da Motta, que funciona sem alvará, em prédio alugado no setor Criméia Leste, desde 2015.

Segundo Acácia, o prédio foi inspecionado na época da transferência, quando o Conselho apontou a necessidade de reparos. Quatro anos depois, alunos com deficiência física ainda precisam ser carregados para as salas de aula, porque a escola não possui rampas de acesso.

De acordo com a presidente do Conselho, o relatório sobre a escola também apontou excesso no número de alunos. O problema se agravou com o passar do tempo: atualmente são 600 estudantes num prédio que comportaria pouco mais de 200. Acácia afirmou que as questões envolvendo a escola devem ser levadas ao conhecimento do Conselho Pleno, o que pode levar à suspensão das matrículas para 2020.

Sobre a construção de salas modulares, em substituição às de alvenaria, a presidente destacou que, pela Legislação, o Conselho não tem competência de avaliação. Ela sugeriu, no entanto, que seja estabelecido um diálogo com o Corpo de Bombeiros, para evitar que ocorra qualquer tipo de acidente.

Questionada por Dra. Cristina sobre as aulas do EAJA (Ensino de Jovens e Adultos), Acácia disse que o Conselho não tem conhecimento oficial das condições insatisfatórias apontadas pela vereadora na Casa da Acolhida, como a falta de treinamento para professores enviados à instituição, e que só poderia agir com base em documentos. Dra. Cristina se comprometeu a enviar relatórios feitos a partir de visitas realizadas pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara, a qual preside.

A vereadora também apresentou requerimentos solicitando a convocação do presidente do Fórum Municipal de Educação, Elcivan Gonçalves França, e do presidente do Conselho de Diretores das Escolas Municipais e CMEIs de Goiânia (Condir), Diego Monteiro, para prestar esclarecimentos à CEI.

Nesta segunda-feira, 24, estava previsto ainda o depoimento da presidente do Conselho Municipal de Alimentação Escolar, Kátia Regina Neres Reis, mas, devido à duração da oitiva de Acácia, foi remarcado para a próxima reunião da comissão, no dia 1º de julho, às 9 horas, na Sala das Comissões.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.