CEI conclui que obras paradas na capital causaram prejuízo de R$ 200 milhões

Comissão foi encerrada nesta segunda-feira (27/8) após prefeito Iris Rezende não comparecer para prestar esclarecimentos 

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investigou as obras paradas em Goiânia foi encerrada, nesta segunda-feira (27/8), após recusa do prefeito Iris Rezende ao convite realizado pela comissão para prestar esclarecimentos.

Para o relator da CEI, vereador Delegado Eduardo Prado, não há justificativa para o prefeito ter negado o convite. “Vamos apresentar o relatório final sem saber do prefeito qual o cronograma para início das inúmeras obras paralisadas. Acredito que o convite no estado democrático de direito é o que há de mais salutar. Nós poderíamos ter feito uma convocação em que o prefeito seria obrigado a vir, mas preferimos convidar”, diz Eduardo Prado.

O relator observa que a CEI enfrentou uma forte resistência desde o início, com a negativa de envio de documentos por várias secretarias e falta de interesse dos membros titulares ligados à base do prefeito. Mas, também, colheu frutos que beneficiará toda a sociedade.

“A falta de documentos não impediu que investigássemos a fundo as irregularidades das obras paradas. Fomos na Caixa Econômica Federal, no Tribunal de Contas do Município e fizemos várias oitivas com secretários, engenheiros e donos de construtoras. Se dependêssemos do Poder Executivo, não teríamos nada no relatório”, critica Prado.

Eduardo Prado afirma que as obras paradas causaram um prejuízo aos cofres públicos de R$
200 milhões. E esse valor pode ser aumentado caso algumas obras não retomem em caráter de urgência. Apesar das perdas, Prado afirma que obras, como a Casa de Vidro e a Maternidade Oeste, retomaram os trabalhos após ações da CEI.

“Nosso trabalho não foi em vão, pois obras importantes recomeçaram, mas não vamos parar de fiscalizar com o fim da CEI. O primordial é que os Cmeis, Centros de Saúde e praças esportivas sejam finalizados. E nossa expectativa é que a Justiça aja com rigor e puna os responsáveis pelas paralisações”, explica.

Relatório Final

De acordo com Prado, o relatório final será apresentado na primeira quinzena de setembro.
“Temos várias denúncias para encaminhar ao Ministério Público de Goiás (MP-GO), além do
indiciamento de secretários e do próprio prefeito de Goiânia por ato de improbidade. Quanto aos documentos que várias secretarias não enviaram, o MP poderá obrigar as pastas a encaminhar a documentação por meio da Lei de Acesso à Informação”, afirma o relator Eduardo Prado.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Paulo Meirelles

Esse Vereador EDUARDO PRADO é o mais atuante de todos os vereadores. Se todos fossem assim, nossa GOIÂNIA seria uma cidade muito melhor !!