CCJ vai travar projeto até que base entre em acordo

Dissenso na porcentagem da alíquota do reajuste é o principal entrave. Aliados do prefeito Paulo Garcia (PT) reconhecem que os 57,8% não são viáveis

Vereador Carlos Soares, presidente da CCJ | Foto: Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

Vereador Carlos Soares, presidente da CCJ | Foto: Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

O projeto que reajusta o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU/ITU) em Goiânia vai ficar travado na Comissão de Constituição de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Câmara Municipal até que vereadores da base aliada fechem acordo para o novo tributo.

A informação foi concedida na manhã desta segunda-feira (1º/12) pelo presidente da CCJ, Carlos Soares (PT), antes da reunião de cerca de 1h30 entre o grupo, que terminou sem definição.

“Hoje, com as dificuldades que se encontra o projeto, não tem condições de ser apreciado. Vamos aguardar até os vereadores entenderem que o índice esteja pronto para ser encaminhado ao plenário”, informou o o petista, em entrevista a jornalistas.

Líder do partido na Casa, ele afirma que sem acordo entre os vereadores a proposta será derrotada em primeira votação. “Vamos tentar para salvar o projeto”, contou, mas sem citar valores. A expectativa é que a sessão extraordinária suspensa na última quinta-feira (27/11) seja reaberta na quarta-feira (3), para a votação do projeto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.