CCJ dá início a sabatina com Kassio Nunes, indicado por Bolsonaro para o STF

Nunes poderá ocupar vaga deixada em decorrência da aposentadoria compulsória do então ministro Celso de Mello. Presidente da comissão, senadora Simone Tebet estima que reunião dure até dez horas

Foto: Ramon Pereira/TRF-1

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) deu início a sabatina do desembargador Kassio Nunes Marques, na manhã desta quarta-feira, 21. Nunes foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A presidente da comissão, senadora Simone Tebet (MDB-MS) estima que a reunião pode durar até dez horas.

A senadora defendeu o que chamou de um “amplo debate” entre os colegas. Vale lembrar que os 81 senadores poderão apresentar seus questionamentos diretamente ao desembargador. Ele deverá ocupar a vaga deixada em decorrência da aposentadoria compulsória do então ministro Celso de Mello.

Conforme lembrado pela Agência Senado, os mais recentes ministros a compor o STF, Alexandre de Moraes e Edson Fachin, passaram por sessões que se estenderam por mais de 11 horas. Moraes participou em 2017 de uma sabatina de 11 horas e 39 minutos. Fachin respondeu a questionamentos de senadores por 12 horas e 39 minutos. Segundo Simone, entre perguntas, repostas, réplicas e tréplicas, cada senador poderá dialogar por 30 minutos com o indicado. 

Se todos utilizarem esse tempo, a reunião pode chegar a mais de 40 horas ininterruptas, mas a presidente da CCJ observa que ao longo da sessão muitas perguntas se repetem e as respostas tendem a ser mais rápidas. 

Biografia

Nascido em Teresina, Kassio Nunes Marques é bacharel em direito pela Universidade Federal do Piauí e obteve títulos de mestrado pela Universidade Autônoma de Lisboa e de doutorado pela Universidade de Salamanca, na Espanha. Depois de exercer a advocacia privada, ocupou, entre 2008 e 2011, o cargo de juiz eleitoral em vaga reservada a advogado no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Em 2011 foi escolhido, a partir de lista tríplice, para vaga de juiz no TRF1, onde chegou à vice-presidência no biênio 2018-2020. (Com informações da Agência Senado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.