CCJ adia para quarta-feira votação da PEC que reduz ministérios

De autoria do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, proposta diminui o número de ministérios para 20

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ) adiou para quarta-feira (22/4) a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz para 20 o número de ministérios no governo federal. De autoria do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), atual presidente da Câmara, a proposta vem gerando polêmica, tendo a sua votação arrastada por semanas em função das obstruções de aliados do governo.

Na última quinta (16/4), depois de muitas negociações entre lideranças do governo e defensores da aprovação da admissibilidade da PEC e da participação do presidente da CCJ, deputado Arthur Lira (PP-AL), foi firmado um acordo para o adiamento da votação da proposta. Também ficou acertado que a PEC será o único item da pauta de votação da CCJ na reunião da próxima quarta-feira. Além disso, as lideranças acertaram que não haverá obstrução e que apenas será feito o encaminhamento de votação e orientação dos líderes.

Na reunião da CCJ, foi encerrada a fase de discussão da matéria. O parecer do relator da proposta, deputado André Moura (PSC-SE), é pela admissibilidade da PEC. Se o parecer for aprovado pela maioria dos membros da CCJ, será criada uma comissão especial para analisar o mérito da matéria antes de ela ser levada à votação no plenário da Câmara, em dois turnos.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Lita Carneiro

O Ministro da Fazenda não está empenhado em acertar as contas reduzir despesas? Pois então comece os cortes nos Três Poderes. Minha sujestão: reduzir número de ministérios, extinção dos cartões corporativos, auxílio aluguel, viagens a serviço, carros com motoristas e combustíveis por conta do contribuinte que não é consultado se quer arcar com esses privilégios. E por aí vai…