CBF avisa que não vai tolerar protestos políticos no jogo da seleção

Seguranças foram orientados a confiscar material, sem retirar pessoas do campo. Justificativa é que Fifa proíbe manifestações do tipo em eventos oficiais

Com posição semelhante a do Comitê Olímpico Internacional, que chegou a coibir manifestações de cunho político durante as Olimpíadas de 2016, até ser proibido de fazê-lo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu adotar a mesma postura. No próximo jogo da seleção, nesta terça-feira (6/9), este tipo de protesto será reprimido.

A alegação é de que a Federação Internacional de Futebol (Fifa) proíbe tanto manifestações políticas quanto religiosas em jogos oficiais. Segundo a Folha de São Paulo, os seguranças foram orientados a confiscar o material de protesto, como faixas e camisetas, sem retirar os torcedores do local.

Depois da polêmica em torno da proibição, a Justiça do Rio de Janeiro (RJ) ordenou que a medida fosse suspensa, entendendo que ela atentava contra a liberdade de expressão. Durante os jogos, alguns torcedores foram retirados dos locais de prova por terem se manifestado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.