“Webcelebridade”, homem com dois pênis lança autobiografia

Double Dick Dude (cara com dois pênis), como gosta de ser chamado, não revela a identidade por “temer o assédio que sua condição pode provocar”

DDDUm norte-americano que possui dois pênis lançou recentemente uma autobiografia intitulada “Double Header: my life with two penises”. Ele, que não revela sua identidade e se autointitula “Double Dick Dude” (cara com dois pênis) [aviso: imagens fortes], concedeu entrevista ao programa Newsbeat, da BBC, quando afirmou já ter tido relações sexuais com cerca de mil pessoas.

DDD disse ter crescido ouvindo dos pais que era uma pessoa “única e especial”. O homem, que virou uma celebridade na internet após o lançamento da sua autobiografia, não revela sua identidade por temer assédio. “Em todos os lugares as pessoas saberiam quem sou. Elas teriam expectativas.” Na capa do livro, está apenas que a obra foi escrita por “Diphallic Dude” (cara com dois falos)

A condição apontada por DDD é chama de difalia. É rara e afeta apenas um em cada 5,5 milhões de estadunidenses, por exemplo. Geralmente, a anomalia congênita causa deformações nos órgãos, mas segundo o norte-americano, não é o caso. “Posso urinar e ejacular com ambos ao mesmo tempo”, explicou o americano.

Na adolescência, DDD afirma que os colegas de escola descobriram a duplicidade, e ele começou a sofrer bullyng. “Eu não queria que os outros meninos tivessem ciúmes ou se sentissem mal por não terem dois pênis. Jamais pensei que eles fossem me odiar por me achar estranho”, disse. O homem afirma que quando começou a namorar, não tirou a roupa até que a menina que estava vendo dissesse que queria fazer sexo. “Nunca pensei que ela poderia simplesmente ter ficado assustada (com a minha condição).”

DDD diz ser bissexual e de ter participado de relacionamentos poligâmicos. E aponta algumas inconveniências, como a compra de roupas de baixo. De acordo com ele, não é possível usar cuecas.

O norte-americano afirmou que já cogitou fazer filmes pornográficos, mas abandonou a ideia por medo de ser visto aberração. “Minha dignidade não tem preço”, afirmou.

Amputação foi cogitada

DDD disse em entrevista que aos 16 anos refletiu sobre a possibilidade de amputar um dos membros. “As meninas começaram a olhar para minha cintura muito mais”, afirmou, completando que nunca pensou em si como sendo diferente.

“Eu gostaria que meus pais tivessem me falado que as pessoas fariam troça do que não entendem. Eu sempre tive dois pênis e, quando olho para baixo, para mim tudo parece normal.” (Com informações da BBC Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.