Policiais encontram objetos que podem ter sido usados por Lázaro Barbosa

As equipes recolheram um tecido e serrote próximo ao local de buscas por Lázaro. No caminho, foram achadas até mesmo rãs desossadas, que a polícia acredita que tenham sido deixadas pelo procurado

Peritos da Polícia Civil do estado de Goiás recolheram, na tarde desta terça-feira, 22, um lençol de cor clara sujo de terra, a princípio sem marcas de sangue aparente, e um serrote de cerca de um metro de comprimento em local perto de onde as buscas por Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, foragido há duas semanas e alvo de uma megaoperação que conta com 270 policiais, estão concentradas.

Os objetos estavam próximos um do outro e foram encontrados em uma área de mata próxima a uma residência na expansão de Águas Lindas, a 4km da cidade. A casa também é localizada perto do distrito de Girassol, no sentido de Cocalzinho de Goiás.

Durante a operação, os agentes já haviam se deparado com outros objetos atribuídos ao criminoso, entre eles uma carta e velas de sete dias. A carta, escrita com caneta vermelha em um papel A4, falava sobre morte com menções a falas de um personagem da trilogia “Senhor dos Anéis: “Muitos que vivem merecem morrer, alguns que morrem merece (sic) viver”.

Os policiais também encontraram oferendas e velas, supostamente deixadas pelo criminoso na região de Edilândia e Cocalzinho. Uma das velas estava acompanhado por um pedaço de papel com o nome completo do serial killer. Ela foi localizada dentro de um cupinzeiro no meio da mata.

As equipes que estão atrás de Lázaro Barbosa também já encontraram rastros do criminoso nas matas enquanto faziam as buscas. No caminho, foram achadas até mesmo rãs desossadas, que a polícia acredita que tenham sido deixadas pelo procurado.

O animal que pode ter sido consumido pelo criminoso foi encontrado perto de algumas pedras, às margens dos córregos que foram usados por ele para se movimentar na mata. Ao lado do anfíbio, também havia um facão, aparentemente pouco amolado, e que foi recolhido pela força-tarefa. Os agentes acreditam que o homem tenha usada a ferramenta e a abandonado quando perdeu o corte.

Além disso,  Lázaro também teria abatido dois frangos furtados de duas chácaras invadidas por ele na última semana. Os proprietários das residências deram falta das aves e a polícia investiga a possibilidade. Para dificultar a sua localização, Lázaro queima praticamente todos os objetos utilizados para não deixar rastros para os cães farejadores, utilizados pelos policiais nas buscas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.