Caso Danilo: polícia ainda investiga 3 linhas e não tem certeza da participação dos envolvidos

Rumores sobre um não envolvimento do padrasto do menino Danilo no crime circulam após Polícia Civil descartar duas linhas de investigação

Danilo de Sousa Silva: camisa aberta, um picolé na mão e um sorriso: assassinado aos 7 anos | Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO) informou nesta quarta-feira, 5, por meio de nota, que, das cinco linhas de investigação sobre o Caso Danilo, duas já foram descartadas. Com isso, começam a pairar dúvidas sobre a participação ou não do padrasto de Danilo, Reginaldo Lima Santos, no crime.

Rumores de que o homem não teria envolvimento no assassinato do menino de sete anos circulam cinco dias após ele ser levado preso como suspeito, junto com Hian Alves de Oliveira, filho adotivo de um vizinho.

Hian foi quem relatou à polícia que Reginaldo teria levado Danilo a uma mata a cerca de 100 metros da casa onde morava. O suspeito disse à polícia que auxiliou o padrasto a segurar o menino e a leva-lo ao local onde foi encontrado morto. Em troca, ele receberia uma moto e um carro como pagamento.

Após investigações, a PC anunciou que precisaria de uma apuração mais aprofundada antes de comentar o possível não envolvimento de Reginaldo no crime. De acordo com o delegado Rilmo Braga, titular da Delegacia Estadual de Homicídios, a reprodução simulada da morte de Danilo ocorre nesta quinta-feira, 6. Somente após esse evento a polícia irá confirmar a participação do padrasto e esclarecer outras questões relacionadas ao crime.

Confira nota da PC na íntegra:

NOTA – Caso Danilo

A Polícia Civil de Goiás informa que havia cinco linhas de investigação sobre o Caso Danilo, das quais duas já foram descartadas. Até a conclusão do inquérito policial, não há como formar nenhum juízo de certeza quanto à participação ou não dos envolvidos. Isso só será possível de afirmar após a reprodução simulada dos fatos, diligência imprescindível à investigação, bem como análise das demais provas. Diante da necessidade de aprofundamento das investigações e da necessidade de cumprimento dos prazos processuais, a DIH só voltará a se manifestar em entrevistas sobre o Caso Danilo após a conclusão do inquérito policial.

Divisão de Comunicação e Cerimonial / PCGO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.