Casarões históricos de Ouro Preto são destruídos em deslizamento de terra

Área foi evacuada pelo Corpo de Bombeiros momentos antes do desmoronamento; ninguém ficou ferido, mas local permanece com instabilidade e risco de novo deslizamento

Deslizamento de terra ocorrido no Morro da Forca, na manhã desta quinta-feira, 13, localizado no centro histórico de Ouro Preto, região central de Minas Gerais, destruiu dois casarões do século XVIII. Os imóveis pertenciam à Prefeitura Municipal e, segundo a Defesa Civil da cidade, se encontravam interditados desde 2012. O órgão ainda informou que como a área foi evacuada pelo corpo de bombeiros no início da manhã, ninguém ficou ferido com o acidente.

“Foi um deslizamento de grande proporção. Felizmente os imóveis estavam vazios. Os casarões estavam fechados justamente por causa do risco”, afirmou o coordenador da Defesa Civil, Neri Moutinho. O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta de oito e meia da manhã, momento que realizou uma vistoria no local. Ao verificar problemas estruturais, toda a área foi evacuada. O deslizamento ocorreu pouco depois da vistoria, às nove e dez da manhã.

Vídeos registrados por moradores mostram o momento do deslizamento. No local, é possível ver faixas de isolamento impedindo o acesso aos casarões. As imagens ainda flagram o momento em que a rede elétrica é atingida com o desmoronamento, já que é possível ver o quando o cabeamento se arrebenta e solta faíscas.

Veja vídeos do deslizamento registrados pelos moradores de Ouro preto:

De acordo com a corporação, o talude ainda apresenta instabilidade. Um hotel e um restaurante permanecem sobre ameaça de serem atingidos caso haja outro desmoronamento. Em frente aos imóveis atingidos, funciona o Centro de Artes e Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Ao G1, o coordenador da Defesa Civil de Ouro Preto explicou que o solo permanecia encharcado devido às constantes chuvas ocorridas nos últimos dias.

A cidade, inclusive, se encontra entre os municípios em situação de emergência devido aos temporais. Com isso, Moutinho orientou que as pessoas evitem passar pela região. “Peço as pessoas que não transitem neste local, há movimentação de massa, já acionamos o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar, a Ourotran e nosso geólogo para fazer a avaliação. Peço as pessoas que tenham paciência, porque o trânsito será liberado depois que for feita uma análise”, afirmou Neri Moutinho.

O Morro da Forca é localizado próximo ao Museu da Farmácia. Lá, pessoas escravizadas eram enforcadas, durante os séculos XVII e XIX.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.