Material será encaminhado à Procuradoria-Geral da República, que decidirá sobre quais pontos deverá pedir investigações

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, homologou as 77 delações de executivos e ex-executivos da construtora Odebrecht. O material, agora, será encaminhado à Procuradoria-Geral da República, que deve analisar toda a documentação para decidir sobre os pontos a serem investigados.

A homologação, que dá validade jurídica às delações, acontece três dias depois que os juízes auxiliares do gabinete do ex-ministro Teori Zavascki concluíram as audiências com os nomes ligados à Odebrecht com acordo na Operação Lava Jato.

Coube a Cármen decidir sobre o caso, visto que Teori Zavascki, o relator da operação, faleceu em acidente. Com a morte do ministro, a presidente do STF autorizou seus auxiliares concluíssem os trabalhos, o que foi feito na última sexta-feira, 27.