Cantareira volta a registrar queda no volume de água armazenado

Manancial perdeu 0,1% ponto percentual do volume armazenado e agora opera com 19,5% da capacidade. Reservas técnicas continuam sendo usadas

O nível do Sistema Cantareira voltou a cair no último domingo (10/5). O manancial perdeu 0,1 ponto percentual do volume armazenado e agora opera com 19,5% da capacidade. Apesar de a média histórica de precipitações para o mês de abril na região dos reservatórios ser 78,2 milímetros, até o momento houve registro de apenas 6,8 milímetros de chuva.

Os reservatórios ainda estão usando as reservas técnicas. Para ultrapassar o volume morto, o sistema ainda precisa armazenar 96,6 bilhões de litros ou 9,7 pontos percentuais da capacidade do reservatório.

O Sistema Alto Tietê ficou estável e opera com 22,6% da capacidade. Os reservatórios atendem a nove cidades, além da zona leste paulistana.

O Sistema Guarapiranga também manteve o volume, que representa 80,9% da capacidade total. O sistema abastece a zona sul de São Paulo.

O Sistema Alto Cotia está com 65,5% da capacidade total, com elevação de 0,2 ponto percentual de ontem (9) para hoje. Essas represas fornecem água para as cidades de Cotia, Embu, Itapecerica da Serra, Embu-Guaçu e Vargem Grande.

O nível Sistema Rio Grande não variou e está operando com 94,8% da capacidade. Os reservatórios garantem água para Diadema, São Bernardo do Campo e parte de Santo André.

Responsável pelo abastecimento de parte da zona leste da capital e os municípios de Ribeirão Pires, Mauá e Santo André, o Sistema Rio Claro teve aumento de 0,1 ponto percentual e opera com 52,7% da capacidade.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.