Candidatura de Maguito não deve enfrentar resistência no MDB

Vereadores que ingressaram na sigla durante janela partidária afirmam que não se arrependeram da escolha. No entanto, lideranças reconhecem força de Iris Rezende e contam com sua participação no processo de escolha de substituto no pleito de 2020

Vereadores Denício Trindade, Gustavo Cruvinel e Carlin Café | Foto: Reprodução

As lideranças do MDB na capital devem se reunir com o presidente estadual do partido, Daniel Vilela, amanhã, 28, às 9h, para debater a escolha do nome que substituirá o prefeito Iris Rezende na disputa pela Prefeitura de Goiânia. O Jornal Opção conversou com vereadores da sigla para entender quais são as expectativas em relação ao encontro e impressões sobre o impacto da saída de Iris do pleito municipal.

Para o vereador Gustavo Cruvinel, é importante frisar que a saída de Iris da disputa não enfraquece a chapa. Ele pontua ainda que não existe arrependimento sobre a mudança de partido. “Ele continuará sendo uma liderança muito forte do MDB e um conselheiro importante”, destaca. Sobre a candidatura à prefeitura, Cruvinel espera que Maguito Vilela seja o nome de consenso.

Carlin Café destaca que a legenda tem muitos nomes qualificados para a disputa, inclusive de vereadores. Porém, o paramentar lembra que Maguito Vilela é um político conhecido e que já provou seu valor com boas administrações como governador e prefeito de Aparecida. “É um quadro muito importante e não podemos correr o risco de entregar a cidade redondinha para alguém sem compromisso com o povo”, defende.

Vereadores não são coadjuvantes e sim protagonistas nas eleições

Em relação a um possível enfraquecimento da chapa, o vereador é enfático. “Não perdemos nada, nós somos representantes de regiões, conhecemos os problemas da cidade. Eles é que dependem de nós. Vereadores não são coadjuvantes e sim protagonistas nas eleições. Na minha visão, exercemos a função mais importante e somos peça chave nas eleições”, avalia Carlin.

De acordo com o vereador Denício Trindade, o momento exige muito diálogo e cautela. “Dentro do atual contexto o Maguito é o principal nome, mas é preciso escutar, dialogar. Acredito que a escolha deve passar também pelo nosso líder que é o Iris Rezende. O partido depende da participação dele”, avalia.

“A candidatura do Iris puxaria mais votos para o partido, mas caso caminhe para o Maguito ou outro nome ainda teremos muita força, somos um partido de tradição. Então, na minha avaliação pode impactar, mas não muito”, destaca o vereador que retornou ao MDB após um hiato de quatro anos. “Tenho uma história com o MDB e não me arrependo de ter voltado”, encerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.