Candidatos à Prefeitura de Goiânia falam sobre propostas na terceira rodada de debates da TBC

Convidados de hoje foram Vinicius Gomes (PCO), Gustavo Gayer (DC), Antônio Neto (PCB) e Fábio Júnior (UP)

Nesta sexta-feira, 23, ocorreu a terceira rodada de debates promovidos pela Agência Brasil Central, em parceria com a TV Alego, com os candidatos à Prefeitura de Goiânia. Os convidados de hoje foram Vinicius Gomes (PCO), Gustavo Gayer (DC), Antônio Neto (PCB) e Fábio Júnior (UP).

O candidato do partido Unidade Popular, Fábio Júnior, falou sobre a democratização da gestão de Goiânia, através da participação efetiva da população. O postulante defendeu o orçamento participativo  — no qual a população participa de debates sobre gastos da Prefeitura  — e o gabinete itinerante, para aproximar a gestão das diversas regiões da cidade. “É somente com essa participação que a gente vai conseguir que as pessoas se sintam representadas na política” pontuou.

Ao ser questionado sobre planos para a área da Saúde, Gustavo Gayer, do Democracia Cristã, disse que seu planejamento para possível gestão inclui a criação de um sistema para conectar a população e a Secretaria Municipal de Saúde, de forma que ações de melhoria sejam tomadas de imediato. Além disso, o candidato expôs a proposta de criação de um sistema de unificação, no qual as unidades de saúde poderão pedir, virtualmente, equipamentos e remédios necessários, segundo ele, sem burocracia.

Vinicius Gomes, candidato pelo Partido da Causa Operária, afirmou que para a melhoria Educação é necessária uma postura a nível nacional. Gomes pontuou que pretende trabalhar “com os pés no chão”, sem fazer promessas inviáveis.

O candidato Antônio Neto, que disputa pelo Partido Comunista Brasileiro, também defendeu pautas da área de Educação, conforme a dinâmica de perguntas. Neto afirmou que defende uma educação completamente estatizada, sob controle dos trabalhadores e comunidade. O candidato também disse que pretende romper com a “democracia representativa liberal”, promovendo referendos, plebiscitos, assembleias populares, conselhos populares e organizações de trabalhadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.