Candidato à presidência do Sintego acusa Bia de Lima de intimidar regionais

Delson Vieira diz que atual presidente não conseguirá se reeleger e questiona resultado da disputa de 2014, que desconsiderou votos de Rio Verde

A eleição pela presidência do Sindicado dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego) ocorre neste ano e deve reviver a disputa de 2014, quando a atual presidente, Bia de Lima, venceu Delson Vieira. Em entrevista ao Jornal Opção, Delson confirmou sua candidatura e disse confiante na vitória.

Segundo ele, o resultado das eleições de 2014 — 7.842 votos (44,91%) para Bia e 7.532 votos (43,13%) para Delson — foi fraudado, porque desconsiderou os votos de Rio Verde. “Disputamos e ganhamos no voto, tivemos mais votos que a chapa de Bia, mas depois a comissão eleitoral, em uma atitude esdrúxula, não considerou os votos de Rio Verde”, explicou.

Delson acusa a comissão eleitoral de ter tomado esta decisão porque foi constituída por indicação da diretoria da época, presidida por Ieda Leal. “Vamos enfrentar de cabeça erguida, estamos melhor preparados e aprendemos com quem estamos lidando, quem está na presidência ilegitimamente”, alfinetou ele.

Questionado sobre as conquistas da atual gestão, Delson fez um balanço negativo. “Essa direção não conquistou nada, defendemos que conquista para trabalhadores não houve, já andamos pelo estado, conversamos com regionais e percebemos que não fizeram nada. Piso nacional, data base”, afirmou.

Dizendo que a adversária Bia de Lima não tem aceitação entre a categoria, ele a acusou ainda de intimidar os presidentes regionais. “A prática dela é intimidatória, mas estamos articulados. Na eleição passada disse que iria ganhar com os pés nas costas e só ganhou no tapetão.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.