Candidato do PMDB denunciou suposto esquema de vale-combustíveis em Anápolis

Colega de partido do vereador Eli Rosa, vice na chapa de João Gomes, foi quem delatou possível irregularidade. Político foi alvo de operação da PF na última quarta

Um ex-candidato a vereador pelo PMDB em Anápolis foi quem denunciou ao Ministério Público de Goiás (MPGO) o suposto esquema de distribuição irregular de vale-combustíveis envolvendo o candidato a vice na chapa do prefeito João Gomes, o vereador Eli Rosa (PMDB), alvo de operação da Polícia Federal na última quarta-feira (27/10).

Conforme apurado pelo Jornal Opção, o candidato a vereador do mesmo partido de Eli informou ao órgão que o atual legislador estaria distribuindo em seu gabinete “vales” de R$ 500 para políticos que haviam disputado as eleições no último dia 2.

Após receber a denúncia, o MPGO requisitou investigação à Polícia Federal que conseguiu, junto à Justiça Eleitoral, expedição de mandado de busca e apreensão no gabinete de Eli.

A PF não encontrou os vales, mas identificou duas listas com nomes de candidatos que teriam recebido doações para campanhas eleitorais. São 13 nomes e a suspeita é de que eles tenham assinado recibos em branco, o que caracterizaria prestação irregular de contas.

O material apreendido vai ser, agora, analisado pela PF. Em sua conta no Facebook, Eli Rosa se defendeu e alegou que a denúncia é “vazia e de má-fé”. “Nunca houve valores nem de entrada nem de saída, no fundo partidário do diretório Municipal do PMDB de Anápolis. Digo ainda que todos os valores destinados à abastecimento de combustíveis são oriundos diretamente do Diretório Regional do PMDB”, argumentou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.