Candidato a presidente do partido, Marconi defende união interna no PSDB

Em discurso na convenção estadual do partido em Porto Alegre, Marconi afirmou que o Brasil precisa dos “governos modernos e inovadores” realizados pelo partido

Durante a Convenção Estadual do PSDB do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, na manhã deste sábado (11/11), o governador Marconi Perillo defendeu mais uma vez a unidade interna do partido e afirmou que o Brasil precisa dos “governos modernos e inovadores” realizados pelo partido, citando as gestões estaduais e os dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) à frente da Presidência da República.

“Eu prego a unidade, vou lutar até a última hora pela unidade do partido. Vou continuar lutando para que o PSDB se una e tome as medidas que precisam ser tomadas. Com diálogo e firmeza, vamos caminhar unidos nas eleições do ano que vem, com discurso de projetos e teses que possam vencer as eleições”, disse.

Marconi apresentou sua candidatura a presidente nacional do PSDB para os convencionais gaúchos e afirmou que, caso assuma o comando nacional da legenda, vai se dedicar integralmente à construção de um programa sólido de governo para o País, em sintonia com a população e a militância do partido nos municípios e nos Estados.

“Quando eu me lancei candidato a presidente do partido, eu procurei, civilizada e educadamente, o senador Tasso Jereissati para me colocar à disposição do partido, pelo respeito que tenho a ele e pelo respeito que ele tem por mim, porque o que me interessa é a vitória no ano que vem, aqui no Rio Grande e para a Presidência da República”, disse. A convenção nacional que vai escolher o presidente do PSDB para o próximo biênio será realizada em 9 de dezembro, em Brasília.

“Eu tenho orgulho de ser tucano e sempre tive coragem para enfrentar o PT em Goiás e no Brasil. Eu tive a coragem de denunciar em 2003 a existência do mensalão, por isso eu fui perseguido durante todos os 13 anos dos governos do PT. Eu tive a coragem em falar para a imprensa nacional que tinha mensalão”, disse Marconi. “Como presidente interino do Senado, coloquei em votação a primeira CPI da Petrobras, coloquei em votação da Lei da Ficha Limpa”, afirmou.

Em Porto Alegre, o governador foi recepcionado na convenção pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, pela deputada federal Yeda Crusius e pelo prefeito de Pelotas, Eduardo Leite. Marconi foi recebido com entusiasmo pela militância tucana nos dois Estados, e apresentou suas propostas para o PSDB e para o País.

“O PSDB do Rio Grande do Sul é um partido de grandes teses e programas para o Brasil, representa à altura o povo gaúcho, os brasileiros, e fazem deste Estado um modelo de desenvolvimento econômico e humano para o Brasil”, disse o governador. “Temos aqui, historicamente, grande referências de lideranças para o País, graças a um partido que não para de se renovar e inovar, sempre”, afirmou Marconi.

Marconi disse ainda que “Goiás deve muito ao povo do Rio Grande do Sul, que foi de forma numerosa para o meu Estado, contribuindo decisivamente para o nosso crescimento econômico, para o nosso progresso”. “Em Goiás nós admiramos muito a cultura gaúcha, suas tradições e costumes. Eu já estive nos dez Centros de Tradições Gaúchas que temos em nosso Estado, para encontrar amigos e conhecer mais as tradições deste grande Estado que é o Rio Grande”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.