Candidato a governo de Goiás tentou vender horário eleitoral quando Bebianno era presidente do PSL

Caso ocorreu em 2006, quando o concorrente ao cargo era, também, presidente estadual da sigla

Foto: Reprodução

Durante a eleição de 2006, o então presidente do Diretório Estadual de Goiás do PSL, Osvaldo Pereira, foi flagrado tentando vender horário eleitoral. À época ele era candidato ao Governo de Goiás e foi descoberto por um repórter do programa Fantástico, da Rede Globo, que se disfarçou de empresário.

Na gravação, ele dizia: “Estou te garantindo os programas de televisão de senador e deputado federal”. Ele garantia a venda de 2 minutos e 30 segundos do horário eleitoral gratuito. Procurado, posteriormente, ele disse que não renunciaria e disse que só o povo tinha o direito de julgá-lo.

O presidente nacional era o atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno. De acordo com publicação da Folha de São Paulo, ele teria sido responsável pela liberação de R$ 250 mil de verba pública para a campanha de 2018 de uma ex-assessora, que seria uma candidata laranja do partido.

Conforme a apuração, parte desse dinheiro foi repassado para uma gráfica registrada em endereço de fachada. A empresa teria sido a mesma usada pela candidata Maria de Lourdes Paixão, que diz ter pago R$ 380 mil à instituição.

Diante disso, o Governo Federal vive uma crise. Espera-se pela renúncia do ministro e ex-líder do partido ou mesmo demissão por parte do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL). Na terça-feira, 12, Bebianno disse ter conversado com o capitão e foi desmentido por seu filho Carlos Bolsonaro.

Jornal Opção contatou o diretório estadual do PSL para esclarecimentos e não recebeu resposta até a publicação desta matéria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Junileno Luan

Que matéria mais inoportuna, descabida e mentirosa acima de tudo.. Infelizmente a credibilidade desse Jornal, em especial dessa jornalista tá indo de mal a pior.. Como que tentam vincular um caso ocorrido em 2006, ao atual ministro Bebbiano, sendo que este na única e rápida vez que exerceu a Presidência Nacional do PSL, foi durante o ano de 2018, mas precisamente no período eleitoral.. A presidência Nacional é e sempre foi exercida por Luciano Bivar, o fundador do Partido.. A verdade precisa ser dita, e não tentar fazer uma falsa acusação e vinculação indevida e mentirosa como essa..