Até esta sexta-feira, 12, Sest / Senat realizará 30 mil testes em trabalhadores do transporte

Caminhoneiros | Foto: Agência Brasil

O Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat) promove a IV Fase do Transporte em Ação – Mobilização Nacional Contra o Coronavírus até a sexta-feira, 12. A ação oferece testes gratuitos para Covid-19 a caminhoneiros autônomos, motoristas profissionais do transporte rodoviário de cargas e motoristas e cobradores do transporte coletivo rodoviário de passageiros por todo o Brasil.

O trabalho das equipes, que se iniciou na segunda-feira, 8, será mantido inclusive no feriado de Corpus Christi, nesta quinta-feira, 11.

A ação ocorre em terminais de cargas e de passageiros, postos de combustíveis, pontos de parada em rodovias e em unidades operacionais do SEST SENAT. Durante as abordagens, os profissionais também recebem orientações de prevenção da doença e de higienização das mãos e dos veículos, além de máscaras de tecido reutilizáveis .

Os testes rápidos levam em consideração a quantidade de anticorpos (IgM e IgG) produzidos pelo corpo humano contra o vírus SARS-COV-2, que provoca a Covid-19. No caso de resultado positivo, os trabalhadores são orientados a buscar atendimento em centros de saúde e sobre o correto isolamento social durante o período de recuperação.

Segundo o presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT, Vander Costa, por meio dessa iniciativa, a instituição contribui com dados importantes e estratégicos para empresas, transportadores autônomos, trabalhadores do setor, governo e sociedade sobre a disseminação do vírus no setor de transporte.

“Desde o início da crise, o Sistema CNT tem trabalhado para reduzir os impactos na produtividade das empresas e na saúde dos trabalhadores do setor. Além disso, a iniciativa do SEST SENAT é também uma forma de contribuir com as políticas públicas que estão sendo adotadas pelo governo federal e governos estaduais no controle da pandemia no país”, afirma.