Novo reajuste da Petrobras que vai elevar preços do diesel é um dos principais motivos para a paralisação geral 

“Uma nova greve dos caminhoneiros pode estourar a qualquer momento”, anunciou o pré-candidato a presidente, deputado federal André Janones (Avante-MG), nas redes sociais. A mensagem foi postada depois que a Petrobras anunciou mais um reajuste para o diesel e a gasolina nessa sexta-feira, 17. Além dele, que ficou conhecido por se apresentar como porta-voz dos profissionais nas paralisações da categoria em 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também vem tentando se aproximar dos caminhoneiros. 

O petista tem criticado, por exemplo, a Paridade de Preço Internacional (PPI) da Petrobras e chamou de inércia a atitude do presidente Jair Bolsonaro(PL) em não revogar tal medida. Esses profissionais estiveram no centro da campanha que elegeu Bolsonaro, em 2018, quando foram realizadas as maiores paralisações de caminhões no país, durante o governo de Michel Temer (MDB). 

Consultado pelo Jornal Opção se há sinalização de paralisações dos caminhoneiros em Goiás, o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Plínio Dias, respondeu que greves devem ocorrer “por todos os lados” do país. No entanto, nos últimos anos, muitas paralisações foram anunciadas pelos profissionais, mas, por divisões de grupos, muitos liderados por apoiadores de Bolsonaro, e por ações do governo, não tiveram muita adesão. Resta saber se agora, próximo das eleições, essa categoria vai “parar” novamente o Brasil.