Camila Rosa vai denunciar André Fortaleza no TRE

Vereadora foi interrompida pelo presidente da Câmara que, na ocasião, ordenou que o microfone dela fosse desligado

A vereadora Camila Rosa (PSD) vai na próxima segunda-feira, 7, denunciar o presidente da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, André Fortaleza (MDB), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO), em razão de, na sessão realizada no dia 2 de fevereiro, ter sido vítima de violência política e assédio moral pelo parlamentar. No dia do fato, a vereadora fazia uso da palavra, conforme prevê o regimento, e foi interrompida por André, que ordenou que o microfone dela fosse desligado. A parlamentar afirmou que foi constrangida, humilhada e desmoralizada pelo presidente da Casa.

“Foi possível perceber o preconceito e desprezo em relação aos meus direitos enquanto vereadora”, avalia. Para Camila, a censura ao debate sobre políticas públicas para mulheres é uma afronta à liberdade de expressão, a qual foi conquistada pela sociedade brasileira nas últimas décadas. A pessedista acredita que o parlamentar aproveitou que ela era a única mulher exercendo a vereança, dentre os 25 parlamentares de Aparecida, para tentar constrangê-la ao destilar palavras carregadas de machismo e misoginia.

A vereadora garante que “não vai se calar diante de qualquer tentativa de intimidação ou agressão.” “Vou continuar defendendo de forma incisiva a pluralidade, a diversidade e a paridade de gênero, etnia, orientação sexual e opção religiosa para construção de sociedade justa, humana e igualitária”, diz. Depois do fato, cujo vídeo viralizou na internet, a vereadora se deslocou até a delegacia onde denunciou o parlamentar. Em seguida, a Defensoria Pública da Mulher entrou em contato para que o parlamentar fosse denunciado na ouvidoria do TRE-GO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.