O governador Ronaldo Caiado (UB) vetou o projeto que concedia bolsa-armas para mulheres vítimas de violência. No texto, o executivo justifica: “é raso e temerário o argumento de que a colocação de armamento nas mãos de mulheres vítimas de violência lhes trará segurança.

O uso adequado da arma de fogo é influenciado por vários fatores, especialmente treinamento e controle emocional e psicológico, o que pode estar reduzido no indivíduo em situação de violência”, ponderou conforme orientação da Secretaria de Segurança Pública.

O veto mostra ainda o argumento da Lei Maria da Penha – unidade militar que presta atendimento especializado às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar – que presta atendimento as mulheres.

Por último, o governo reafirma que o projeto foi apresentado sem estudo prévio. “A medida proposta desconsidera fatores que podem tornar o auxílio à aquisição de arma de fogo de uso permitido justamente um fonte adicional de agressão à mulher em situação de vulnerabilidade”.

De autoria do deputado Major Araújo (PL), o projeto foi aprovado na Assembleia Legislativa em dezembro do ano passado. Há época, o parlamentar classificou como “medida extrema” e necessária para combater a violência contra a mulher.