Governador trabalha por uma dobradinha do DEM para comandar as presidências da Câmara e do Senado, com Rodrigo Maia e Davi lcolumbre

Foto: divulgação

O governador Ronaldo Caiado defendeu a adesão formal de seu partido, o Democratas, ao governo Jair Bolsonaro, por conta das afinidades entre ambos e por crer que a legenda “não pode colocar o pé em duas canoas”. É o que relata, nesta quinta-feira, 10, o jornal Valor Econômico.

Segundo o periódico, Caiado trabalha por uma dobradinha do DEM para comandar as presidências da Câmara e do Senado, com Rodrigo Maia e Davi lcolumbre, respectivamente – embora alegue que a filiação partidária “não é mais critério” para a tomada de decisões políticas no país.

“Eu vou defender essa tese na reunião da executiva. Não dá para ter o pé em duas canoas, nunca foi a minha posição ali”, afirma Caiado em entrevista ao Valor.

Caso seja reeleito, diz Caiado, Rodrigo Maia “não vai peitar o governo e nem o governo vai peitar o Rodrigo”, afirma. Amigo de longa data do ex-prefeito do Rio, César Maia, pai de Rodrigo, Caiado está empenhado em reeleger o presidente da Câmara. Na semana passada, recebeu-o no Palácio das Esmeraldas, sede do governo, e está organizando para os próximos dias um encontro entre o parlamentar e a bancada do Estado na Casa, conclui o periódico.