Caiado eleva o tom e diz que suas decisões não extrapolam Constituição Federal

Governador está em contato com Ibaneis Rocha: “Para agirmos de forma conjunta para protegermos nossos cidadãos”

Foto: Reprodução

Após o presidente Jair Bolsonaro publicar neste sábado, 21, novas regras sobre a circulação interestadual e intermunicipal no Diário Oficial da União (DOU) em resposta ao fechamento de divisas adotado por governadores, Ronaldo Caiado (DEM) eleva o tom e defende medidas duras contra o coronavírus.

“A Constituição é direta em seu artigo 24: Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre defesa da saúde (inciso XII). Isso cabe a mim, diante do momento vivido, como médico, governador, responsável pela saúde e pela vida do povo goiano”, defendeu o governador.

Segundo Caiado, suas decisões não extrapolam o que a Constituição Federal lhe dá em capacidade para tratar do assunto. El também esclareceu que moradores do Entorno do DF que desempenhem atividades em saúde/limpeza hospitalar/segurança/alimentação poderão ir a Brasília pelo transporte público e privado.

De acordo com Caiado, será feita triagem e orientação aos moradores do Entorno. Se não atuar em áreas primordiais, evite ir ao DF. “Já solicitei audiência com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, para agirmos de forma conjunta para protegermos nossos cidadãos”, adiantou.

Para o governador goiano, Brasília tem sido duramente penalizada por receber pessoas do Brasil todo, “tem um aeroporto internacional de grande fluxo e viu o número de casos de coronavírus crescer”.

“Nós manteremos a limitação da circulação interestadual em Goiás, com exceção de quem atua em áreas essenciais, como a segurança, a saúde e a alimentar. Temos uma prerrogativa constitucional. Não estamos de maneira nenhuma desrespeitando a MP do Governo Federal”, concluiu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.