Caiado e Rogério Cruz prestam condolências ao presidente Jair Bolsonaro

Presidente da República perdeu a mãe na madrugada da última sexta-feira, 21. Olinda Bolsonaro sofreu duas paradas cardíacas. Ela foi sepultada ontem

O governador Ronaldo Caiado (Democratas), o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), o prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha (sem partido) e os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) prestaram condolências ao liberal, que perdeu a mãe, Olinda Bolsonaro, aos 94 anos, na última sexta-feira, 21, em Registro, Interior de São Paulo, após sofrer duas paradas cardíacas durante a madrugada.  

Os políticos utilizaram as redes sociais para comentar a morte da mãe de Bolsonaro. O governador Ronaldo Caiado, por exemplo, que está internado em São Paulo, onde faz um tratamento de prostatite, assinou uma publicação ao lado da primeira dama, Gracinha Caiado, e prestou solidariedade ao presidente por este momento difícil. “Recebemos a notícia com muita tristeza”, comentou o governador.  

O prefeito de Goiânia também fez uma publicação nas redes sociais. “Recebemos com tristeza e pesar a notícia da morte da mãe do presidente Jair Bolsonaro. Que Deus console a todos os familiares enlutados”, publicou o prefeito. 

Cotado para ser candidato ao governo de Goiás pelo PL, partido de Bolsonaro, o prefeito de Aparecida de Goiânia também comentou a morte de Dona Olinda Bolsonaro. “Minhas condolências ao presidente da República”, comentou o prefeito.  

Entre os bolsonaristas, Vitor Hugo (PSL) e o presidente da Frente Conservadora de Goiás, Oseias Varão (PP), também houve lembranças ao liberal. Segundo Vitor Hugo, que também é cotado para concorrer ao governo, é um momento “imensurável de dor”.  

Sem divergências 

Até mesmo a oposição e outros presidenciáveis se pronunciaram sobre a morte de dona Olinda Bolsonaro. Os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT), João Dória (PSDB), Sérgio Moro (Podemos) e Rodrigo Pacheco (PSD) se pronunciaram sobre a situação e desejaram condolências e sentimentos a Bolsonaro.  

A emedebista Simone Tebet e o principal algoz de Bolsonaro, Lula (PT), não se pronunciaram até o momento.  

Morte  

A mãe de Bolsonaro estava internada no Hospital São João, em Registro. O velório aconteceu na cidade de Eldorado, onde vivia. Olinda estava internada desde segunda-feira, 17, após apresentar sinais de desidratação. Desde então ela ficou internada, até que na madrugada de sexta-feira, a mãe do presidente sofreu duas paradas cardíacas.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.