Caiado diz que variante que circula em Goiás tem capacidade de transmissão assustadora e atinge mais jovens

Em entrevista coletiva, governador falou sobre planos para adquirir novas vacinas e sobre a necessidade de lockdown. “Não existe nada que possa confrontar a ciência”

Governador Ronaldo Caiado (DEM) | Foto: Reprodução

O governador Ronaldo Caiado (DEM) falou, em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 1, da situação crítica que Goiás enfrenta diante da pandemia da Covid-19. O estado registra hoje 97,13% dos leitos de UTI ocupados.

De acordo com Caiado, as novas variantes que já estão em transmissão comunitária no estado têm índice de transmissibilidade bem maior ao que circulava na 1ª onda da doença e também atinge na forma grave pessoas mais jovens.

” A Covid que chegou ao brasil como sendo aquela que se iniciou na China, nós tivemos um período em que pudemos controlar a crise de contaminados, ela veio numa fase onde pegou pessoas mais idosas, com comorbidades. Nós estamos agora diante de uma outra variante do coronavírus, seja ela qual for, o que você vê é um comportamento completamente diferente. A capacidade de transmissibilidade está assustando a todos nós. E o pior: pessoas de 30 anos pegando a forma mais grave da doença e vindo a óbito, coisa que não acontecia com tanta frequência antes. Quantas outras variantes ainda virão?”, indagou Caiado.

Lockdown

O governador ressaltou a necessidade de medidas mais restritivas nesse momento para que sistema de saúde não entre em colapso e para que a vacina chegue a tempo de imunizar a população.

“Quero pedir às pessoas que entendam que não é nenhuma queda de braço, pedimos essa avaliação por uma semana para diminuir o número de internados, para que não colapse o sistema de saúde de Goiás. Será que pedir uma semana é demais? Será que vai trazer uma perda irreparável no seu comércio?”, questionou,

Ronaldo Caiado ressaltou o apoio do setor produtivo na tomada de decisões, setor que foi contrário ao lockdown no ano passado. “As pessoas amadurecem e entendem que precisamos desse momento para conter a disseminação”. E rebateu críticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos estados que adotaram a medida. “Não existe nada que possa confrontar a ciência, isso é universal e não podem contestar. Aqueles que contestam não têm comprovação científica”, pontuou.

Vacinas

Caiado disse que há expectativa para a chegada de um “pequeno lote” de vacinas ainda na noite desta segunda-feira ou, no mais tardar, na terça-feira, 2. E que há previsão do Ministério da Saúde distribuir mais 12 milhões do imunizante em março.

O governador voltou a defender o posicionamento de que as vacinas adquiridas pelo estado vão para rateio do Ministério da Saúde. ” Toda aquisição de vacina será paga pelo governo federal, não estamos tirando nem R$ 1 do estado de Goiás. O que estamos fazendo é uma coisa só: ampliando os contatos”, explicou. “Jamais trabalharei pra quebrar um plano nacional de imunização que existe há 57 anos e do qual sou profundo conhecedor”.

Caiado disse ainda que a vacina Johnsen, de apenas uma dose, não deve estar entre os imunizantes adquiridos pelo estado uma vez que o fabricante só sinalizou para entrega de doses em novembro. “Fica muito distante da nossa necessidade”, lamentou. E lembrou que nesta terça-feira, 2, terá reunião com embaixador russo para tratar da possibilidade de compra da Sputnik V.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.