Caiado diz que vai buscar primeiras doses da vacina contra Covid-19 nesta segunda-feira, 18

Governador de Goiás afirmou ainda que vacinação vai começar imediatamente, assim que imunizantes chegarem

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, convidou governadores dos 26 estados e do Distrito Federal para uma reunião na manhã desta segunda-feira, 18, em São Paulo, para discutir o uso das 6 milhões de doses da Coronavac. 

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), informou na tarde deste domingo, 17, que irá até São Paulo para buscar as doses destinadas a Goiás.

“Já recebi o telefonema do ministro da Saúde, o ministro Pazuello, que me convidou. Estou decolando daqui de Goiânia às 4h, estarei às 7h em Guarulhos para receber as vacinas que serão aplicadas nas pessoas que compõem o grupo de risco”, afirmou Caiado.

Início imediato

A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, neste domingo, o uso emergencial das vacinas de Oxford/AstraZeneca e da Coronavac.

A expectativa é que, até esta segunda-feira, mais de 1 milhão de kits de seringas e agulhas sejam entregues aos 246 municípios goianos. A ação faz parte do Plano Estadual de Vacinação para que as cidades estejam preparadas para dar início à imunização dos goianos.

”Vamos começar a vacinar imediatamente. Na mesma hora que [a vacina] chegar, ela será distribuída de acordo com os grupos que são prioritários na vacinação, a todos os municípios, e iniciaremos imediatamente. Logo depois, mais doses chegando, nós ampliaremos nossa imunização”, afirmou o governador.

Inicialmente, a expectativa é a de que idosos e profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19 sejam priorizados. A previsão é que Goiás receba 7% do total de vacinas adquiridas nacionalmente pelo Ministério da Saúde, mantendo a proporcionalidade em relação aos outros Estados.

Plano Nacional de Imunização

O governador goiano ainda pediu respeito a todos os brasileiros e ao Plano Nacional de Imunização.

“Esse plano não dá prioridade para Estado A ou B. Ele tem um respeito a todos independente do Estado que o cidadão viva. Fazer uma vacinação fora de um Plano Nacional é algo que mostra que a vaidade política fala mais do que a solidariedade ao ser humano”, afirmou. Caiado destacou que “questão de saúde pública não é questão política e nem de ordem pessoal” pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.